Gotham – 01×08 – The Mask
| 19 Nov, 2014
1x08 - The Mask

1×08 – The Mask

 

Contém SPOILERS.     

Após o emocionante ‘Penguin’s Umbrella’, “Gotham” volta às origens com outro assassinato a ser investigado por Harvey e Gordon. Só que nada foi o mesmo desde os acontecimentos do último episódio.

Jim está zangado e tem todos os motivos para se sentir assim. Uma traição como a que sofreu dos colegas após a invasão de Victor Zsasz na GCPD não é fácil de esquecer. Ainda me custa acreditar na cobardia deles.

O caso em si não tinha nada de especial à primeira vista. Harvey e Jim descobriram com relativa facilidade que o assassinato tinha algo a ver com a empresa de Richard Sionis (ou Black Mask, um dos vilões da DC Comics). Há muito errado em Gotham, e este caso foi mais uma prova disso.

Essen: When did this become normal for this city? What changed? 
Jim: Maybe nothing. Maybe it was always just below the surface. Only needed a spark.
Essen: Like Thomas and Martha Wayne being killed? I’m not blind, Gordon. I know you’re still looking into it. But could their deaths have caused all this? Why were they so important?
Jim: I think it’s what they represented. A different Gotham. Decent. Hopeful. Whatever it was, it’s gone now.    
 

Harvey é uma personagem cada vez mais credível. Se houve lados positivos no confronto com Falcone foi a lealdade dele para com Jim. Eles finalmente tornaram-se parceiros, parceiros que estão lá um para o outro a cem por cento. Quando Jim descobriu o que realmente se passava na empresa (que Sionis fazia com que os candidatos a emprego lutassem até à morte) claro que ficou em sarilhos. O ex-militar sabe safar-se sozinho mas uma ajudinha de Essen, Alvarez e Harvey veio mesmo a calhar. Será que as coisas vão acalmar na GCPD? E palmas a Harvey por ter incentivado os colegas. 

Jim: You know, you were wrong. What you said earlier. It’s not that I love fighting. But I’m not afraid to either. And if we don’t fight for this city who will?  

Fish Mooney e Oswald Cobblepot continuam a medir forças. Parece o trabalho de Liza na casa de Falcone está finalmente a dar frutos. Mas o que é certo é que a protegida de Fish está a apegar-se ao mafioso. Não o suficiente (afinal, ela roubou aquilo que Fish queria), mas ele não lhe é indiferente. De qualquer das maneiras, isto não vai acabar bem para ela. Não duvido da palavra de Fish quando garantiu a sua protecção, porém, Penguin está novamente um passo à sua frente. Fish tem mesmo que escolher melhor os seus empregados. Timothy acabou por revelar a Cobblepot que há alguém de Fish próxima de Falcone. Eles não vão demorar nem cinco minutos a perceber de quem se trata. O confronto entre estes dois está a aquecer. Quem sairá vitorioso neste duelo de titãs?

Bruce regressa finalmente à escola, mas não tem a vida facilitada, visto que é vítima de bullying por parte de Tommy Elliot (ou Hush, outro inimigo de Batman). Todavia, toda a raiva que se andava a acumular em Bruce veio ao de cima com o apoio de Alfred. Estava mesmo na altura de Bruce sair da mansão e enfrentar o mundo. A cena do murro foi a primeira que senti que David Mazouz esteve realmente à altura da personagem que interpreta. Ninguém disse que ia ser fácil o papel de Bruce Wayne nesta altura da sua vida. O pequeno está no pico da dor, numa altura que a sua vida muda para sempre. A partir daqui vai ser um longo e doloroso caminho para Bruce começar a restaurar a paz em Gotham que Jim e companhia não conseguem.

Oh, olá Selina! Realmente já me andava a perguntar se se tinham esquecido da nossa futura Catwoman. Desde que abandonou Jim no esgoto que não tinha aparecido decentemente. Será que não sabem o que fazer com Cat ou andam a guardá-la para futuras histórias? O que é certo é que ela está de volta. E será que com ela o assassinato dos Wayne voltará a ser trazido à baila?

Posso só tirar um momento para dizer o quão Barbara me irrita? Amiga, tudo bem estás traumatizada. Ultrapassa isso, não te atires para algo tão cliché como o álcool. Que personagem enervante. Fazes boa competição com a Laurel Lance em “Arrow”. É mesmo uma pena que não se possam ver livres dela. Afinal, ela é, de facto, o interesse amoroso de Jim e não há como mudar isso. Podiam era tirar-lhe tempo de antena, torná-la uma personagem recorrente ou assim. Nas comics, Barbara não faz nada de especial para além de ser a mulher do Comissionário. Aliás, se há uma Barbara Gordon que seja interessante no universo de Batman é mesmo a filha do casal, a futura Batgirl.

No meio desta palhaçada toda, só tenho mesmo pena de Jim. Já é segunda vez que ela abandona o noivo… e só porque ele não tinha tempo para os dramas existenciais dela no meio de um dia de trabalho. Enfim. Só espero que ela esteja fora uns bons episódios.

Para terminar… E Nygma? Ele vai aparecendo, vai sendo gozado ou ignorado pelos colegas e tal… Vou ficando à espera para ver os desenvolvimentos do futuro Riddler mas até agora Nygma parece desenquadrado de tudo, dando apenas uma ajuda ou outra nos casos de Jim e Harvey. Quero mais desta personagem!

Nota: 7.5/10

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

a league of their own

Recomendamos