7x14 - The Convention Conundrum

7×14 – The Convention Conundrum

 

Contém SPOILERS.

Como uma enorme fã de Star Wars, estava desertinha para este episódio, no qual Carrie Fisher (aka Princesa Leia Organa de Alderaan) e James Earl Jones (aka a famosa voz de Darth Vader) faziam uma participação especial. 

Tudo isto começou quando o nosso quarteto fantástico não conseguiu arranjar bilhetes para a Comic-Con (uma cena inicial hilariante, já agora). Enquanto que Raj, Howard e Leonard optaram por uma via não-oficial (para, segundo eles, serem badasses), Sheldon se lembrou-se de fazer a sua própria convenção, a Sheldon-Con. Mas aquilo não lhe corre pelo melhor, porque o nosso génio é rejeitado por estrelas atrás de estrelas… até se lembrar de ir ter com James Earl Jones ao seu restaurante preferido de sushi. Esta foi a parte mais divertida do episódio (ri-me às gargalhadas com o karaoke), excepto a parte da Carrie Fisher. Aquilo não foi uma participação especial, foi um cameo. Apesar de ter tido piada, gostava de ter visto mais a actriz no episódio… E de ver Sheldon ter outra ordem de restrição.

Com tudo isto, o plano da Sheldon-Con foi por água abaixo e até me esqueci que era esse o título do episódio. A história de Sheldon resumiu-se mais ao seu dia com o Mr. Earl Jones do que outra coisa. Porém, Sheldon acabou por conseguir arranjar maneira de todos irem à Comic-Con, como acompanhantes do seu novo amigo.

Enquanto isso, Raj, Howard e Leonard ficaram em casa à espera que o homem lhes fosse levar os bilhetes (eu pagava bastante para os ver vestidos dos quatro diferentes Hulk) . Todavia, começaram a pensar nas consequências dos seus actos (adoro o facto de o Howard ter uma mesada. Adoro a Bernie.) e acabaram o episódio na casa de Leonard de luz fechada com medo do que poderia acontecer (ser banido para sempre da Comic-Con). Não houve bilhetes para ninguém, eles são pessoas honestas (por muito que não queiram)

Howard: I’ll be an astronaut and a bad boy… how will women keep their pants on?

Já as meninas juntaram-se e foram beber chá para provarem que são adultas – ao contrário dos namorados que preferem gastar o tempo em criancices como a Comic-Con. No entanto, o tiro saiu-lhes pela culatra. O que é exactamente ser um adulto? Aparentemente, ninguém sabe. Nem a Bernadette se sentiu mais adulta mesmo depois de casada. E Penny continua a rir-se quando as pessoas caem. E Amy ainda é virgem. Na verdade, penso que elas se aperceberam que não existe uma definição exacta para adulto (tirando aquela do BI).

No final, penso que os rapazes foram os mais adultos desta história toda. Pelo menos, ele fazem o que os deixa feliz e não têm que fingir nem forçar nada, ao contrário do que Penny, Amy e Bernie fizeram.

Foi um bom episódio não no sentido que fez rir até não poder mais mas deixa-nos a pensar e as histórias combinaram bem e revelaram um lado mais adulto (de uma maneira ou de outra) das nossas personagens (excepto Sheldon que ainda não é capaz de apreciar uma lap-dance). Outro ponto positivo deste episódio foram as referências culturais, que tornam a série tão especial e que têm vindo a diminuir nestas últimas temporadas.

Mas os produtores que não pensem que me esqueci das histórias pendentes que ainda existem, principalmente a mais urgente… Se Penny já vivia apertada com o emprego no restaurante, quanto tempo é que sobreviverá desempregada?

Nota: 7.7/10

Maria Sofia Santos