7x12 - The Hesitation Ramification

7×12 – The Hesitation Ramification

 

Contém SPOILERS.

A minha sensação quando acabei de ver o primeiro episódio de 2014 daquela que considero a melhor série de comédia da actualidade foi… meh. E não foi pela carga dramática da história da Penny e do Leonard. Muito pelo contrário.

Eu já suspeitava que Chuck Lorre iria eventualmente mexer com este casalinho. A relação deles estava num bom caminho e já falavam em casamento. Daí a Leonard se mudar para casa de Penny era um ápice. E os produtores não podiam permitir isso. Ia mexer demasiado com a história. A casa de Leonard e Sheldon é o ponto principal da série (tal como a casa de Monica em Friends ou a de Ted em HIMYM) e a dinâmica dos dois colegas de casa funciona bem, por isso, para quê mexer?

Posso estar errada nisto tudo, visto que ainda não sabemos exactamente como é que as coisas vão evoluir. É esperar para ver.

Ora bem, a história começa com Penny eufórica por ter participado na famosa série NCIS e todos os amigos se juntam para ver o episódio. Confesso que até a mim me doeu o coração quando vi que a cena tinha sido cortada. Quero dizer… sete temporadas depois e ela ainda não conseguiu nada? Até o Joey de Friends teve mais sucesso do que ela! E isso não tirou a piada à personagem (o oposto, na verdade). Arranjem depressa outro emprego a Penny! Ela merece e eu já não a consigo ver naquela farda do Cheesecake Factory. Inovem! Se não uma carreira como actriz, então algo relacionado ou que ela goste a sério.

Este – novo – contratempo na carreira de Penny abalou muito a sua relação com Leonard tanto quando ele admitiu que não acreditava que ela conseguisse singrar como actriz como mais tarde, durante o pedido de casamento. Acho que Leonard tomou a posição certa mesmo que Penny, no seu estado de embrieguez, não o tenha conseguido ver. Destas duas situações, creio que Penny tenha ficado mais magoada com a falta de fé nela do que outra coisa.

Relativamente aos pontos cómicos do episódio… Sheldon a tentar ter piada foi um fracasso completo. Sheldon, honey, o que te faz tão engraçado é não teres consciência disso! A única parte que conseguiu arrancar-me uma gargalhada foi ele a baixar as calças e a reacção de Amy. De resto… nada.

O riso de Bernadette – após afirmar que, às vezes, os seus risos relativos às piadas do marido nem sempre eram sinceros – no restaurante foi hilariante nos primeiros vinte segundos. Depois tornou-se só irritante. A resposta dele é que teve a sua graça! Adoro-te, Howie.

Howard: Yeah, well, I fake my orgasms.

Por seu lado, Raj e Stuart foram ao centro comercial tentar socializar. Até aí percebi o objectivo. Mas o facto de eles não terem falado com uma única mulher durante todo o episódio… qual foi o objectivo aqui, afinal? Li algures que Chuck Lorre teve que cortar uma cena em que eles falam, de facto, com uma mulher, mas isso tornou a história toda relativamente irrelevante.

Enfim. Pode ser que a próxima semana traga mais gargalhadas e mais progresso nas histórias de Raj e Penny. Perdoo a qualidade mais baixa do episódio só pelo facto de The Big Bang Theory ser, noventa e cinco por cento das vezes, fantástica.

Nota: 6.5/10

Maria Sofia Santos