5x09 - The Big Game

5×09 – The Big Game

 

Contém SPOILERS.

Depois de um episódio menos bom, esperei mesmo que Modern Family voltasse às suas grandes histórias esta semana. Não me interpretem mal, houve partes que até me ri bastante. O problema de The Big Game foi que os argumentistas quiseram tudo em apenas vinte minutos de episódio. Claire, Phil, Cam, Manny, Mitchell, Alex e Haley e Gloria e Lily tiveram as suas histórias.

O episódio começa em casa dos Dunphy e Phil dá a entender que o mês não lhe está a correr pelo melhor. Contudo, optimista como é, ele não se deixa abater e vai à luta. É das qualidades que mais aprecio em Phil. E o coitado teve tantos azares na casa que queria vender (calças molhadas, cobras) e acabou desiludido. Ora, acho que esta história podia ter tido mais protagonismo e mais desenvolvimentos porque de certeza que traria mais gargalhadas. No final, porém, lá vendeu a casa ao (agora ex) patrão de Mitchell.

Não gostei muito da história da Lily e da Gloria. A única coisa que se safou foi a pequena, que é sempre adorável e divertida. Foi uma pena terem aproveitado mal estas cenas entre elas. É evidente que se adoram e podiam ter tido algo muito mais engraçado.

Mitchell entre empregos não é novidade. Certas histórias recicladas resultam bem mas esta podia ter sido evitada. Na verdade, Mitchell irritou-me um bocadinho neste episódio com o seu ‘gozo’ (eu sei que faz parte da sua personalidade  e eu adoro-o mas às vezes irrita-me) às superstições de Cam e à sua relutância em despedir-se.

Já as manas Dunphy… Parece que começamos a ver a primogénita Haley finalmente a dedicar-se aos estudos. Todavia, terá sempre Alex à perna – e será sempre giro vê-las a discutir. E o Dylan apareceu, yey! Adoro-o e ele é cá em cromo. Perfeito para a Haley. É notório que Haley continua a gostar muito dele mas penso que lhe faz bem estar sozinha por agora. Pode concentrar-se em si e no seu futuro. Mas não se esqueçam do Dylan, argumentistas! Nem que seja para ele dar um pequeno concerto. Também foi bonito ver Haley fazer aquele gesto, digamos, simpático pela irmã. Sem dúvida que ajudou na sua auto-estima. Way to go, Haley.

Oh, Claire e as suas aventuras. Percebo perfeitamente que ela queira distanciar-se de ‘filha do Jay’. Querida, foste trabalhar para o sítio errado. Para além de seres a menininha do papá, Jay já por si tem a sua personalidade intimidante. Luta pela tua individualidade, mas vais ter um longo caminho a percorreir.

Mas ela a tentar sair do armário – literalmente – foi um dos momentos mais engraçados do episódio. Claire fica sempre tão engraçada nestes momentos embaraçosos. E ainda por cima com o paizinho a ver. Lindo.

Para mim, a melhor personagem do episódio foi mesmo Luke – o meu preferido da série – com os seus comentários aos jogos. Simplesmente hilariante. Fez-me lembrar uma personagem da saga Harry Potter, Luna Lovegood, quando comentava os jogos de Quidditch em Hogwarts. Muito, muito semelhantes. Só que o coitado do Luke ainda levou um murro.

Por fim, vamos à nossa equipa! Cam esteve perfeito no seu papel de treinador ambicioso (e um nadinha egoístas, mas não faz mal), a incentivar a equipa mesmo em circunstância menos boas. Fiquei muito feliz por ele. Após aquela vitória, Cameron Tucker é uma lenda naquele liceu.

Mesmo dentro daquele imponente fato de jogador, Manny foi igual a si mesmo. Estava cheio de pena do período difícil que a outra equipa estava a atravessar. Ainda quis dar-lhes a vitória por pena, mas o seu lado competitivo levou a melhor. Como lhe disse Cameron, ser competitivo – na dose certa – não tem nada de mal. Estou orgulhosa do meu Delgado Júnior (ou Pritchett Júnior).

Em suma, foi um episódio igualmente mediano. Penso que podiam ter construído menos histórias e ter sido mais em volta do jogo. Creio que teria resultado melhor. Ah, só para terminar, não sou nenhuma especialista em jogos de futebol na América mas acho que em todos os filmes/séries que vi havia sempre mais gente a assistir. Naquele campo estavam meia dúzia de gatos pingados. E onde estavam as cheerleaders para o Manny se declarar e apaixonar? Mas que falha.

Nota: 6/10

Maria Sofia Santos