Quase dois anos após o final da 1.ª temporada, Auga Seca está de volta aos ecrãs portugueses com oito episódios que vão aprofundar as origens dos negócios da família Galdón e os seus conflitos com a família de Teresa. A estreia da 2.ª temporada de Auga Seca está marcada para o dia 3 de novembro, às 21h, na RTP1 e RTP Play, ficando disponível a partir de 5 de novembro, na HBO Portugal e Espanha (agora HBO Max).

Coproduzida pela portuguesa SPi e pela galega Portocabo, as gravações da 2.ª temporada de Auga Seca decorreram no início do ano e contaram com novas caras no set de gravações. Aos atores nacionais Victoria Guerra, Adriano Luz, Igor Regalla, João Pedro Dantas, Joana Santos e Marta Andrino, juntaram-se Pêpê Rapazote, Luana Piovani e Gonçalo Waddington, e ainda Tomás Alves, Paulo Calatré, José Fidalgo, Coio Só e Diogo Mesquita. Os galegos Monti Castiñeiras (Mauro Galdón), Sergio Pazos (inspetor Viñas), Eva Fernández (Irene) e Belén Constenla (Dulce) regressam uma vez mais aos seus papéis.

A realização desta 2.ª temporada de Auga Seca volta a ser assinada pelo galego Toño Lopez, a quem se alia Sérgio Graciano (Chegar a Casa). O realizador português refere ao Séries da TV que fazer parte da realização da série foi uma experiência muito positiva e recorda as gravações na Galiza, onde foi desafiado pela língua, uma vez que estava rodeado de uma equipa galega. Já o guião ficou a cargo de Roberto G. Méndez, Alfonso Blanco, Nina Hernández e Ana Míguez, com coautoria do argumentista português Miguel Simal.

No passado mês de setembro, esta produção luso-galega foi distinguida com o prémio de melhor série dramática, no Celtic Media Festival – que tem como objetivo dar a conhecer as línguas, culturas e talentos das regiões celtas -, demonstrando o impacto cada vez maior que as produções nacionais têm além-fronteiras.

Beatriz Caetano