Classificação

9
Interpretação
8.8
Argumento
9.1
Realização
9.0
Banda Sonora

Don’t Take My Sunshine Away é de facto um bom nome para este episódio, um episódio que prometeu afastar-nos do drama de toda a tensão da semana passada e oferecer-nos um bonito pôr do sol, mas que foi fortemente ameaçado e que acabou por se despedir de nós com previsão de nebulosidade.

This Is Us teve, esta semana, um episódio dominado pelas mulheres, uma homenagem a toda a sua força imensurável e à sua impressionante capacidade de superação. Quem diria que aquela pequena Kate cheia de dúvidas e incertezas se tornaria na grande mulher e mãe capaz de se abstrair de todo um contexto aterrorizante e focar todas as suas energias positivas no seu filho Jack, que está a travar uma batalha implacável. De certo modo, tudo o que Kate passou e sofreu com o seu passado tornaram-na na pessoa forte a que assistimos neste episódio, com confiança para dividir com o seu parceiro, que se deixou abalar pelos receios desta fase tão desafiante.

Outra grande mulher do episódio foi Rebecca, a mostrar que as mulheres também podem ser românticas e tomar a iniciativa, proporcionado os momentos mais divertidos e amorosos desta semana e superando Jack, que é um especialista neste campo. A verdade é que Mandy Moore e Milo Ventimiglia continuam com uma química em cena verdadeiramente genuína que consegue passar todas as emoções para este lado do ecrã, seja no brilho do olhar, nos sorrisos atrevidos, nas palavras doces. Um par com quem devemos todos aprender!

Beth e Randall eram também um par modelo, mas nesta temporada parece que os argumentistas estão decididos a voltar os fãs contra Randall. Estávamos no bom caminho, cedências de parte a parte, apoio face às vitórias de cada um, até que de repente Randall estragou tudo num momento em que Beth foi a terceira grande mulher do episódio e fez tudo o que Randall deixou de merecer num instante de perda da razão em virtude de circunstâncias e do qual se deve ter arrependido instantaneamente. Genial o pico de tensão com que o episódio termina, com aquele fechar de porta, deixando todos em reboliço pelo resultado daquela discussão. Continuo na minha de acreditar na vitória do amor. A discussão vai ser feia, mas a reconciliação vai saber melhor ainda. Espero mesmo não estar enganado aqui!

Quem também passou a vida em timings desencontrados foram Kevin e Sophie. Confesso que quando os vi juntos em cena temi que caíssemos no cliché do regresso à paixoneta (ou talvez nem tão paixoneta) de escola, num momento de dúvida de Kevin sobre o que queria para o seu futuro. Felizmente Sophie já estava noutra onda e fechou-se assim, julgo eu definitivamente, este ciclo Kevin/Sophie. Tenho mesmo gostado de ver a dinâmica de Kevin e Zoe, no entanto esta questão não deveria já ter sido levantada? Quando duas pessoas se começam a relacionar e a conhecerem-se com o propósito de desenvolver uma relação a dois, a pergunta dos filhos não deve vir logo? Para muitas pessoas é o sonho de uma vida. Talvez não o fosse para Kevin e, assim, acho que fez a escolha correta. Aliás, penso até que Sophie estava certa. Ele acabará por ter tudo o que quer, porque ao escolhê-la talvez tenha aberto caminho a que num futuro Zoe mude de ideias. Quem sabe…

Foi um episódio que valeu sobretudo pelos desempenhos femininos. A relação de Kevin e Zoe sai com certeza a ganhar, Toby e Kate estão em sintonia e mais juntos do que nunca na sua importante missão. O grande ponto de interrogação vem do outrora casal-maravilha e, deste modo, This Is Us consegue agitar as águas e lançar o tapete vermelho para um episódio que se avizinha muito emotivo, com Beth e Randall no centro da ação. Venha ele!

André Borrego