Classificação

6.5
Interpretação
6
Argumento
7
Realização
7
Banda Sonora

The Spanish Princess é mais uma minissérie da Starz a adaptar as obras de Philippa Gregory depois de The White Queen e de The White Princess. Pessoalmente, ainda não me aventurei na escrita da romancista inglesa, mas vontade não me falta. Falta é o tempo que, por muito que queira, não estica.

A série segue a história de Catarina de Aragão, e este primeiro episódio mostra-nos a partida de Espanha para Inglaterra. Como muitos de vós devem saber, Catarina de Aragão foi a primeira esposa de um dos mais famosos monarcas ingleses, Henry VIII. No entanto, antes de contrair matrimónio com o rei que criou a igreja anglicana Catarina casou-se com o irmão mais velho de Henry, Arthur.

Para os fãs de Game of Thrones, certamente vão lembrar-se da atriz que dá vida à futura rainha. Charlotte Hope era Myranda, a namorada do nosso querido Ramsay e que morreu na mão de Theon Greyjoy. Acho-a uma boa atriz, mas já tem os seus 27 aninhos e Catarina casou com Arthur com 16 anos. Além disso, era de bem terem arranjado uma atriz de nacionalidade espanhola. O espanhol da atriz é deplorável. A minha Edith de Downton Abbey está também de volta ao nosso ecrã como Margaret Pole, uma figura maternal de Arthur e sua conselheira, que está tudo menos feliz com a união com a coroa espanhola.

Adorei as imagens em território espanhol antes de partirem para a chuvosa e cinzenta Inglaterra. A Alhambra, na cidade andaluza de Granada é capaz de ser um dos sítios mais bonitos que já vi. Palmas para os produtores por incluírem o palácio no primeiro episódio.

Apesar de não ser grande fã na escolha da protagonista, tenho de admitir que a atriz fez um papel excelente, retratando uma princesa em terra desconhecida, com costumes muito diferentes. Catarina chega a Inglaterra apaixonada supostamente pelo príncipe que vai casar até descobrir que foi enganada. Não se deixa impor pelos costumes britânicos, é obstinada e determinada. Diz-se que casa é onde estão as pessoas de quem gostamos e a comitiva espanhola que acompanhou Catarina, incluindo as suas damas de companhia, dá forças a Catarina para não ser esmagada por um país e uma família real que tanto precisa dela. O guarda roupa é também um ponto forte da série, tendo sido dada especial atenção aos vestidos de Catarina e das suas damas de companhia, todos muito bem elaborados e de cores quentes e vivas.

Somos também apresentados a Henry VIII, um jovem sedutor que se enamora por Catarina através das cartas, em que se fazia passar pelo irmão. Todos já sabemos que a história de Henry e Catarina vai acabar com ele a mandá-la para o exílio para se casar com Anne Boleyn, mas pronto, uma pessoa precisa de se esquecer disso para apreciar o início de uma bonita história de amor.

Gosto bastante de ficção histórica e apesar de vir aí uma série rica, tenho de confessar que achei a estreia meio sem sal. Com a exceção de Laura Carmichael, Stephanie Levi-John (que dá vida a Lina, dama de companhia de Catarina), e Charlotte Hope, o resto do elenco é fraquinho e tem prestações sensaborão e superficiais. Posso estar a ser picuinhas ou é apenas uma estreia menos feliz, mas a sensação que tive foi que o elenco não estava a  100%  nos seus personagens. Acho que The Spanish Princess tem potencial e argumentos não faltam para nos ficar na memória. Uma pessoa nunca se cansa dos Tudors, não é verdade?

Maria Sofia Santos