Classificação

9.5
Interpretação
8.5
Argumento
10
Realização
7
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

The Little Drummer Girl é baseada no livro de espionagem com o mesmo nome, do famoso escritor John Le Carré. Não é a primeira vez que um livro deste autor é adaptado para uma série; em 2016 deu também origem à série The Night Manager, que vai decerto gerar comparações com esta.

Na Alemanha, na década de 70, um grupo de terroristas palestinianos coloca bombas, com o intuito de matar judeus. Há um grupo de espiões israelitas que se esforçam para os travar, e para isso, juntam uma equipa de espiões, nos quais se inclui Charlie (Florence Pugh), uma jovem atriz de Londres. Porquê? Ninguém sabe, incluindo a própria Charlie, já que aparentemente não tem qualquer relação com serviços secretos ou militares. Será apenas por ser atriz e conseguir representar um papel? Claro que isto é vital para ser espia, mas de certeza que há algo mais, visto que Charlie é enviada para a Grécia com o seu grupo de atores, por um patrocinador anónimo, e é na Grécia que é recrutada para a missão.

E Charlie é sem dúvida o ponto alto do episódio, possivelmente da série inteira. Com uma personalidade adorável, descontraída e divertida, a jovem atriz traz um lado contrastante ao lado sério e profissional da equipa de espiões. Principalmente as suas cenas com Becker (Alexander Skarsgård), o seu recrutador da Grécia, são o exemplo perfeito das suas personalidades opostas, pois Becker quase não fala e Charlie diz tudo o que está a pensar, sem qualquer problema. Considero, no entanto, que isto vai rapidamente mudar agora que Charlie sabe que ele pertence à equipa e ele pode revelar realmente quem é.

Não posso deixar de mencionar a magnífica cinematografia desta série, a coloração feita na pós produção e as cores vibrantes das roupas das personagens contribuem para uma experiência imersiva nos anos 70, como se estivéssemos a ver através de um filtro da época. Além disso as paisagens são magníficas! O episódio acaba com uma cena incrível na Acrópole de Atenas, que é de cortar a respiração. Só por isto vale a pena ver a série, honestamente.

Mal posso esperar para descobrir como é que a Charlie vai ser envolvida na missão, se ela se vai dar bem com a equipa e como é que eles vão travar os terroristas. Um piloto promissor para quem gosta de séries históricas, thrillers e espionagem. Serão uns curtos 6 episódios, por isso vale a pena aproveitar!

Se alguém viu o episódio ou já viu The Night Manager, adorava ler a vossa opinião ou possíveis comparações.

Ana Oliveira