Classificação

7.2
Interpretação
6.4
Argumento
7.4
Realização
7
Banda Sonora

[Contém spoilers]

“All we want is to be left alone”

Após uma semana de pausa eis que The Gifted regressa para nos mostrar o rescaldo do confronto entre o Inner Circle e o Mutant Underground. Quem é que já tinha saudades?

Se o Turner do passado visse a sua versão futura… Este episódio foi importante para estabelecer como funcionam alguns dos novos grupos apresentados. Um deles é o dos Purifiers e que se revelaram nada menos do que uns trogloditas racistas, desorganizados e com sede de sangue. Podiam representar perigo para mutantes destreinados ou que apanhassem sozinhos, mas nada mais do que isso. Porém, agora que Jace Turner entrou em jogo a eficácia do grupo parece estar a mudar e isso não são de todo boas notícias para o Mutant Underground.

O outro grupo que brilhou no episódio foi o dos Morlocks. Ao contrário de todos os outros este grupo não defende mais direitos para mutantes ou humanos, não defende nem igualdade, nem superioridade, eles acreditam que os mutantes nunca serão aceites e por isso o melhor a fazer é separarem-se da sociedade e viverem isolados. Os diálogos entre Clarice e Erg elevaram sem dúvida o episódio e trouxeram-nos o material mais cativante.

A outra dupla que se pode dizer que salvou “afterMath” foi a de Andy e Rebecca. Percy Hynes White destacava-se na temporada passada como o elo mais fraco em termos de interpretação, mas parece que a experiência de uma temporada lhe fizeram bastante bem para melhorar as suas capacidades de ator. Rebecca até se revelou uma surpresa agradável, demonstrando habilidades incríveis e uma personalidade distorcida.

Quanto ao resto do elenco: Marcos e Lorna andam a desvanecer-se bastante nesta temporada, sendo que no passado foram o melhor da série; John está a um passo de perder o controlo; o medo de Reed congela-o e impede-o de ser muito mais; e Caitlin esforça-se ao máximo para se manter a personagem mais irritante da série. É rara a vez que ela apareça no ecrã e não faça uma pessoa revirar os olhos.

O maior problema da série neste momento é a sensação de que os episódios passam e passam, mas permanece quase tudo na mesma e andamos sempre à volta da mesma formula já gasta. Não é que ainda seja penoso assistir aos episódios, mas não transmitem a excitação que deviam e temo que uma 3ª temporada esteja cada vez mais longe de ser possível caso não mude alguma coisa.

“iMprint” é o ultimo episódio antes do midseason finale e por isso esperamos que as coisas comecem a aquecer para poderem acabar em grande antes do hiatus. Será que Lorna começará a virar-se contra Reeva? Conseguirá Reed controlar os seus poderes? E o quão perigoso serão os Purifiers com Jace à liderança? Até lá, não temam o que não conhecem!

Emanuel Candeias