Classificação

7.5
Interpretação
7.3
Argumento
7.6
Realização
8
Banda Sonora

[Contém spoilers]

#MutantUprising

Linhas foram cruzadas, novos poderes emergem, um prisioneiro foi libertado e no final fica a dúvida se neste dia os mutantes tiveram uma vitória ou derrota.

O começo do episódio prometia um processo de reconciliação e cura para a família Strucker, mas na realidade o oposto viria a acontecer: Reed recusa-se a aceitar os seus poderes, começando a fazer disso uma maldição; Kate fez tudo ao seu alcance para proteger a família, mesmo que isso significasse torturar e abusar de outros; e quando Lauren estendeu a mão, Andy não se limitou só a bater-lhe, mas deu-lhe mesmo uma tareia. Terá Evangeline acertado quando disse que o domínio de Reeva é tão grande que Lorna e Andy nunca sairão vivos do Inner Circle? Marcos parece já não acreditar muito no retorno de Lorna.

E o que dizer do plano de Reeva? Apesar de calculista, frio e até cruel não se pode negar que teve impacto na revolta dos mutantes contra a opressão que sofrem. Acham que, tendo em conta a falta de direitos dos mutantes, Reeva pode ter alguma razão no que faz? Será ela uma espécie de anti-herói como Magneto?

Jace Turner tinha finalmente saído do poço de desespero desde a morte da sua filha, mas infelizmente foi curta a duração desta estabilidade. A sua obsessão por capturar mutantes ameaça levá-lo para um rumo que poderá muito bem ser o seu fim. Apesar de tudo o que Turner faz contra o Mutant Underground, existe sempre uma parte de nós que consegue compreender o porquê das suas atitudes e conseguimos encontrar uma parte boa dentro dele. No entanto, a união ao grupo extremista dos Purifiers é capaz de mudar isso tudo, transformando Turner num vilão completo.

Neste episódio destaca-se ainda a boa prestação de Adam David Thompson como Graph, o irmão de Wire, que nos trouxe um exemplar mutante com poderes de hacker. Além disso, Clarice parece ter tomado um papel de bússola de bom senso do grupo e os seus comentários mostram-nos a nós público que, por muito irracionais que as escolhas deles por vezes pareçam, é tudo derivado do seu estado emotivo e não de falhas na escrita por parte dos produtores.

Os episódios nesta temporada começam a seguir um certo padrão: início com um flashback excelente e que se enquadra na perfeição com o resto do enredo dessa semana, um desenvolvimento bom/mediano e, por fim, uma conclusão dramática que nos marca e deixa a pensar no episódio. Duas dessas partes estão boas, mas é o meio que tem de melhorar de forma a termos um episódio sólido e consistentemente bom.

Esta semana teremos uma pequena pausa em The Gifted, mas a série regressa logo a 30 de outubro. afterMath lidará com os novos mutantes que foram resgatados do hospital/prisão, o prisioneiro misterioso e a junção de Jace ao sombrio grupo dos Purifiers. Até lá, não temam o que não conhecem!

Emanuel Candeias