Classificação

8
Interpretação
7.6
Argumento
8.1
Realização
7.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

O canto da cigarra

Nora continua a encantar neste segundo episódio e o vilão Cicara revela-se uma agradável e misteriosa surpresa.

A narrativa com um novo pupilo traz sempre uma sensação de renovação, permitindo ao mesmo tempo mergulhar no passado e comparar a evolução que se fez. Neste episódio temos tudo isso bem aproveitado com Nora a tentar impressionar o seu pai e herói, ao mesmo tempo que Barry procura em Joe conselhos sobre como lidar com uma filha. Esta relação entre Nora e Barry tem florescido de forma rápida e que promete trazer muitas emoções, sendo sem dúvida o ponto mais forte deste início de temporada. Outro ponto positivo de ter um pupilo é não só revermos o treino dos poderes que Flash já descobriu, mas ainda a possibilidade de ele descobrir novas habilidades, algo que os fãs estão sempre desejosos de ver. Em contraste com esta ótima relação de pai e filha está a inexistente relação entre Iris e Nora. Claramente existe ali algo mais do que simplesmente Nora ter nascido sem pai; parece que a acrescentar a isso, a sua relação com a mãe também teve bastantes problemas na sua timeline, mas para sabermos mais sobre isso teremos de esperar pelos próximos episódios.

“Who’s Cicada?” Essa é a pergunta na boca dos fãs de The Flash. O início do episódio com a luta entre Cicada e Gridlock foi ideal para “abrir o apetite” e as motivações deste “vilão” parecem bem diferentes do que estamos habituados. O que acham? Será ele mesmo um vilão ou apenas alguém à procura de vingança? Talvez tenha perdido alguém importante numa luta de meta-humanos? Pelo pouco que ainda sabemos, esta versão de Cicada no Arrowverse parece ter motivações em comum com Malcolm Merlyn e Cayden James.

 “Han shot second!” – triggered! Como aconteceria a qualquer fã de Star Wars.

Quanto às restantes storylines, a aventura do trio Caitlin, Ralph e Cisco no desamor deste último trouxe momentos leves e engraçados, mas ao mesmo tempo não deixamos de sentir pena de Cisco. Ele e Gypsy realmente ficavam tão bem juntos, é uma pena que não tenha resultado! Já o passado de Caitlin é um dos grandes mistérios da temporada que queremos ver resolvido e esperamos que tenha mais essência que o arco de Killer Frost da temporada passada, que acabou por ficar um pouco aquém do esperado. Além disso, também não queremos ver esta investigação a ser adiada indefinidamente, por isso a ver se no próximo episódio já começamos a ter algumas respostas. Quanto a Ralph, tem sido usado como a libertação cómica dos episódios e, apesar de ser um papel que lhe encaixa bem, só isso será desperdiçar a personagem, pelo que aguardamos que ao longo da temporada também ele possa ter um bom arco que desenvolva mais a história do Elongated Man.

Continuo a achar Cecille a personagem mais inútil da série, mas uma vez que, por outro lado, Joe West é uma personagem tão querida tem de haver um balanço do tempo de antena dela para também seguirmos a vida dele. Se mantiverem essa exploração baixa como neste episódio não vejo qualquer problema, mas que não repitam o erro de episódios da temporada passada em que gastaram demasiado tempo de volta de uma personagem que até ver revelou ser muito pouco interessante.

Factos do Channel 52 (a internet é negra e cheia de spoilers, prossigam por vossa conta e risco):

  • Cicada: é um vilão da DC criado por Geoff Johns e Scott Kolins, com estreia em Flash Vol 2 #170 (2001), mas que não tem sido muito utilizado nos comics. Nas bandas desenhas ele surgiu como um arqui-inimigo de Wally West numa altura em que este tinha herdado o manto de Flash de Barry Allen. De nome real David Hersch, um aspeto interessante sobre a personagem é que este nasceu no século XIX. A forma como adquiriu os seus poderes equipara-se à do herói Flash, tendo também ele sido atingido por um raio. No entanto, no caso do vilão, este ganhou a habilidade de absorver a força vital das pessoas, acelerando a sua capacidade de regeneração e tornando-o imortal. No presente, o vilão cria um culto com o objetivo de roubar a força vital de Flash e de todos aqueles que o super-herói salvou de forma a reviver a sua esposa morta – daí a faca dele ter o aspeto de um relâmpago, assim como o símbolo de Flash. É certo que as adaptações dos vilões têm sofrido bastantes alterações no Arrowverse, por isso só nos resta esperar para ver quanto é que será aproveitado do background de Cicada. Um dos mistérios que já se começou a estabelecer neste episódio é da relação entre Cicada e Nora. Ter-se-ão os dois reconhecido? Poderá ele também vir do futuro, neste caso? E a teoria rebuscada de que Cicada e Nora poderão na verdade ser irmãos?

Fim dos spoilers, podem respirar de alivio e ler daqui para a frente.

The Flash conseguiu melhorar em relação à sua estreia de temporada, mas mesmo assim ainda existe bastante espaço para afinação.

O título do próximo episódio é bastante sinistro e aguardamos com o coração nas mãos o que poderá acontecer. The Death of Vibe chega-nos já na próxima semana. Até lá, boas corridas!

Emanuel Candeias