Classificação

7.9
Interpretação
7.6
Argumento
8.5
Realização
8
Banda Sonora

[Contém spoilers]

“Jiaju”

+Barry +prisão –Ralph = felicidade. Um episódio engraçado, coeso, com tons (drama e humor) equilibrados e que nos reaviva a esperança. O melhor episódio desde antes da midseason!

“Bulbasaur, the cutest one of all.” Concordam?

O subtil enredo de Wells veio florescer a personagem e pôr alguns pontos nos is. O apanhado geral dos esforços da Team Flash para libertarem Barry da prisão dá-nos a compreender que eles andam realmente a tentar ao máximo para livrar Barry pelos meios legais e para desmascararem DeVoe. Também é patente na atitude de Wells a frustração de verem todos os seus planos a serem inutilizados e de, apesar de muitos deles terem QI de génios, se sentirem como uns novatos à beira de The Thinker.

O vilão da semana foi vistoso nos seus poderes e trouxe ligações interessantes com o Atom, mas ficou a faltar ser mais explorado. Sendo um dos meta-humanos criados no autocarro pelo plano de DeVoe, de certeza que o voltaremos a ver e pode ser que aí aprendamos mais sobre Dwarfstar. Nas comics, Dwarfstar é um super-vilão e inimigo de Ryan Choi, o segundo Atom.

A personagem de Bill Goldberg tem um grande destaque esta semana. Como curiosidade, o ator já anteriormente tinha interpretado o papel de um prisioneiro no filme Os Quebra-Ossos (2005). A relação que se cria entre Barry e Big Sir é bonita de se ver e exalta a razão de Barry ser a cabeça da Team Flash, não pelos seus poderes, mas pelo seu coração. Mesmo estando ele preso injustamente, pede aos amigos para se focarem em libertarem um homem que conheceu há pouco na prisão. Esta história vem também abordar os tantos enganos que existem nas prisões reais e que não valorizando a justiça pelas próprias mãos, deixa a moral de que para desfazer uma injustiça por vezes tem que se ir contra a Justiça.

O plano de Barry para ganhar pudins nas cartas é não só engraçado como tem lógica ele apostar nisso já que como speedster ele precisa de uma enorme quantidade de calorias, às quais não tem um fácil acesso na prisão. Sabiam que a sobremesa favorita de Barry é mesmo pudim?

E quem diria que a gravidez poderia trazer mais do que desejos de grávida? Cecile tem o jackpot de ganhar poderes telepáticos! A explicação para o desenvolvimento destas habilidades é coerente e faz uma boa comparação com a diabetes gestacional. A perspetiva é interessante, pelo meio ficamos um pouco entediados por Cecile ser uma personagem na sua maioria irritante (como é que ela não percebe que as pessoas não gostam de ser invadidas e prezam a sua privacidade?), mas no final consegue redimir-se com aquele diálogo sincero com Joe. A cena na terapeuta de casais, como no caso de Barry e Iris, foi bastante engraçada, ainda bem que se lembraram de adicionar essa cena, pois foi um relâmpago que caiu certeiramente duas vezes. Estas súbitas novas capacidades de Cecile são o começo de um arco que mostrará diversas personagens a ganharem poderes temporariamente. Iris será uma das eleitas e poderá experienciar o que sente o marido, já que se tornará numa speedster por um dia.

Gregory Wolfe é o tipo de personagem com quem não queremos em desacordo. Nos comics, a sua personalidade é a de um diretor de prisão que a partir do momento em que um preso entra em Iron Heights é culpado, não importa do quê e, se for Wolfe a escolher, nunca mais sairá de lá e apodrecerá para sempre na sua cela. O seu desdém é especial por meta-humanos, aos quais não se importa de provocar algum desconforto físico ou psicológico como forma de castigo. Os Rogues sofrem bastante nas mãos dele, mas como este os mantém presos mais tempo do que a maioria das outras pessoas, a polícia desvia os olhos às atitudes mais abusivas de Wolfe. O cliffhanger foi uma surpresa que me deixou bastante entusiasmado pelo próximo episódio e pelo futuro de Barry na prisão. A ligação com Amunet foi uma boa jogada e dará a oportunidade à personagem se redimir pela sua última fraca participação.

“Everyone in here is a monster”

No próximo episódio veremos as “True Colors” de Amunet, Wolfe e Barry quando o negócio de venda de todos os meta-humanos em Iron Heights poderá levar Barry a revelar a sua identidade como Flash. Curiosos? Até lá, boas corridas!

Emanuel Candeias