Classificação

7.5
Interpretação
6
Argumento
6.8
Realização
7
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Primeiro teste: falhado

Beau Willimon foi o responsável pela criação da aclamada série House of Cards para a Netflix, pelo que quando se anunciou que a sua próxima possível obra de arte, The First, iria para a Hulu no formato de uma série passada num futuro próximo, 10 a 15 anos a partir de agora, sobre a primeira exploração espacial do Planeta Vermelho, o burburinho e o hype começaram imediatamente a crescer.

A juntar a este nome de peso temos como estrelas o duas vezes vencedor de Óscar, Sean Penn, assim como a talentosa Natascha McElhone (Designated Survivor, Californication). Ou seja, o interesse está lançado.

Elon Musk, num recente podcast com Joe Rogan, revelou que uma das maiores desilusões da vida dele seria saber que a espécie humana nunca realmente saiu para explorar o espaço e colonizar outros planetas, esperando assim apenas pelo fim inevitável em que o sol irá evaporar os oceanos (ou quem sabe ainda antes disso). E falo de Musk pois, após tomar conhecimento de The First, associei logo esta série a outra que estreou em 2016 na National Geographic. Alguém aqui seguiu a série Mars? Nessa série, mais num formato quase de documentário futurista, podemos seguir a primeira missão de colonização do planeta Marte em contraste com as descobertas no presente e principalmente com os avanços da empresa SpaceX. É uma série extremamente interessante e que se aconselha vivamente aos apaixonados pelas missões espaciais e que me fez estar à espera, em The First, de uma versão mais sedutora e menos documental da primeira viagem a Marte.

E então, como é que se portou The First na sua estreia? A realização está aceitável, tirando umas mudanças de cena meio incongruentes não há nada mais relevante a apontar. Podemos realçar o foco nas pequenas tecnologias que nos são apresentadas, assim como o retrato da vida de Tom Hagerty (Sean Penn) nos faz automaticamente relacionar e simpatizar com ele. No entanto, e verdade seja dita, no piloto não houve oportunidade de mostrar aquilo que a produção cinematográfica vale em termos do espaço, viagens espaciais e as paisagens no planeta Vermelho, que não só serão o verdadeiro desafio como também aquilo por que o público anseia. Da mesma forma, a banda sonora consegue no geral envolver-se com as cenas que estão a dar e transmitem uma certa sensação de aventura, mas também não vai além disso para nos espantar. As performances dos atores estão incríveis e são sem dúvida um dos pilares da série. Já o argumento é bastante sólido e acerta em cheio ao retratar as dificuldades de uma missão espacial, assim como cativa com os seus dramas familiares.

Então é espetacular a série, é isso? Apesar de à primeira vista e na teoria este piloto parecer acertar em tudo, na prática foi mais um tiro ao lado. O grande problema foi o não ser de todo o que as pessoas estavam à espera e aparentar seguir um rumo bastante lento até chegarmos à parte mais estimulante. Podemos dividir este piloto em 99% drama e apenas 1% sci-fi e isto decerto que vai deixar muita gente frustrada. Quem vinha à procura de um sci-fi de alta qualidade centrado na primeira missão a Marte pode começar a baixar as expectativas.

The First não impressiona no seu piloto, mas o potencial para o sucesso é tão grande que merece mais uma oportunidade para nos mostrar nos próximos episódios o porquê de seguirmos a série. Os 8 episódios desta 1.ª temporada já estão todos disponíveis por streaming. Só espero que não desiludam.

Emanuel Candeias