Classificação

6.8
Interpretação
7.1
Argumento
6.3
Realização
5.5
Banda Sonora

Atenção: esta review contém SPOILERS!

A 1 de outubro de 2017 estreou, no canal canadiano CTV, The Disappearance, uma minissérie dramática que tem como principal foco o inexplicável desaparecimento do jovem Anthony (Michael Riendeau) no dia do seu décimo aniversário. A série, que chega agora aos televisores americanos, promete não só seguir os desenvolvimentos deste caso, mas também desvendar os segredos há muito enterrados pela família do pequeno rapaz.

Este episódio piloto, intitulado Birthday Boy, começa por nos apresentar a Anthony Sullivan, o jovem de quem temos estado a falar. Este encontra-se na escola, onde começa a realizar uma apresentação um pouco… Estranha? Sinistra? Inapropriada? Enfim, são vários os adjetivos que podemos utilizar para descrever aquilo que se passou.

A uma primeira vista, o projeto de Anthony parece completamente inocente, tratando-se de um simples retrato do bairro onde vive. É só quando o rapaz começa a distribuir um conjunto de fotografias aos seus colegas que percebemos o quão estranho e intrusivo o seu trabalho verdadeiramente é: de modo a caracterizar o bairro e os seus moradores, Anthony fotografou os seus vizinhos sem que estes se apercebessem, remexeu no seu lixo, leu cartas que não lhe pertenciam… A lista continua.

Após o “incidente,” os seus pais (interpretados por Camille SullivanAden Young) são chamados à escola, mas, uma vez que ambos estão demasiado ocupados com as suas vidas profissionais, Henry (Peter Coyote), o seu avô, é o primeiro a aparecer. Nas cenas que se seguem é criada uma oposição clara entre os pais de Anthony, Luke em particular, e Henry. O último acredita que o seu neto se estava apenas a expressar de forma criativa, enquanto Henry e Helen estão um pouco mais preocupados com a situação e resolvem tirar a Anthony alguns dos seus privilégios, como forma de castigo, para além de o fazerem pedir desculpa a todos os seus vizinhos.

A ação passa então para o dia seguinte, o dia do aniversário de Anthony. Apesar de o rapaz estar de castigo, Henry organiza uma caça ao tesouro para o seu neto, mantendo a tradição criada pelos dois. Este jogo consiste em Anthony seguir um conjunto de pistas deixadas pelo seu avô, até alcançar o último envelope que lhe foi deixado. Um jogo bastante simples, certo?

A verdade é que, em casa, as horas vão passando sem que Anthony apareça. Após esperarem um tempo razoável pelo regresso do rapaz, os seus recém-divorciados pais e o seu avô partem à procura dele, mas sem qualquer sucesso. Eventualmente, a família acaba por chamar as autoridades, que, apesar de não conseguirem encontrar Anthony, encontram a sua mala.

Pessoalmente, achei este primeiro episódio de The Disappearance bastante cativante. Por norma, não gosto de crianças em séries e Anthony não é uma exceção à regra. Em vários momentos deste episódio piloto, Anthony lembrou-me uma versão muito menos psicopata, mas igualmente perturbadora, de Jack Hawthorne da série American Gothic. Ainda assim, gosto que The Disappearance tenha criado um ambiente em que podem existir diversas causas para o desaparecimento de Anthony. Existe a possibilidade de este ter fugido, sentindo-se incompreendido pelos seus pais, ou de ter sido levado por um dos seus vizinhos por ter visto e fotografado algo que não devia…

Muitas são as perguntas levantadas neste episódio que, decerto, serão respondidas nos restantes cinco episódios desta minissérie. Estão dispostos a dar-lhe uma oportunidade?

 Inês Salvado