Classificação

10
Interpretação
9
Argumento
9
Realização
8.5
Banda Sonora

Este artigo contém spoilers!

Depois de no episódio da semana passada termos visto a batalha de Clarke dentro da sua própria cabeça para regressar, esta semana vemos o que vai acontecendo com as outras tramas. Começamos com a dupla Octavia e Dyioza, que tem surpreendido pela forma como resultam bem enquanto duo. Nunca imaginei que as duas juntas pudessem dar algo tão bom, mas a verdade é que é das melhores parcerias da série no momento. As duas descobrem finalmente quem é Gabriel. E não é que esse homem velho esteve à nossa frente este tempo todo? Pois é, Gabriel não é nada mais nada menos do que Xavier. Confesso que não esperava por esta e gostei de ser surpreendido.

Na Eligius IV, Abby quer usar o método dos primeiros para trazer Kane de volta. Isto leva-nos a uma questão muito interessante sobre até que ponto estamos dispostos a tudo quando se trata de salvar alguém de quem gostamos muito. Raven é contra a decisão de Abby, mas no fim acaba por perceber e ajuda a mãe de Clarke a trazer Kane de volta, agora num corpo novo. Durante o resto da temporada teremos Kane em ação, mas até que ponto vai ele perceber a decisão que Abby tomou?

No Sanctum tudo aconteceu. Madi deu em assassina silenciosa e começou a matar os primeiros. Só que Madi ficou tão fora de si que atingiu gravemente Jordan. Isto despontou a fúria em Russell, que promete guerra contra os nossos heróis.

Ao mesmo tempo, a nossa desaparecida Emori descobre que Clarke ainda está viva e apesar de Murphy a tentar levar para o lado deles, ela junta-se a Bellamy e leva John e Josephine para uma armadilha. Durante a batalha no campo magnético, Bellamy consegue agarrar e fugir com Josephine ficando os dois do lado dos filhos de Gabriel. Bellamy quer trazer Clarke de volta e provavelmente vai procurar a ajuda de Gabriel, que assim vai reencontrar a sua amada Josephine.

Mas quem rouba este bocado de episódio é, sem dúvida nenhuma, Emori. Apesar da vontade em sobreviver e do amor inquestionável por John Murphy, ela percebe o conceito de família e de ajuda mútua, ao contrário do próprio Murphy, que só pensa nele próprio. Apesar de ter andado desaparecida, Emori regressou com tudo e deixa-nos com vontade de ver mais.

Para terminar, apesar de ter sido um episódio com ritmo e evolução na história, tenho de mencionar os momentos mais sentimentais entre os personagens, em especial o pedido de casamento de John a Emori. É daquelas coisas que não imaginas que vão acontecer, mas quando acontecem fazem todo o sentido e esta encaixou que nem uma luva no episódio. Outro ponto a que vou dar nota máxima é à interpretação neste episódio. Os atores estão estupendos! Acho que todos eles atingiram um nível de maturidade impressionante e mais uma vez tenho de elogiar Eliza Taylor. No episódio passado tivemos a nossa Clarke de volta e agora voltamos a ver Josephine. Duas interpretações brilhantes, de duas personalidades diferentes e interpretadas de forma exímia pela mesma atriz. Simplesmente sensacional!

P.S.: Muito provavelmente foi a despedida do actor Henry Ian Cusick, que fez de Marcus Kane durante estes seis anos. A personagem continuará, mas o ator não e fica aqui uma menção pelo extraordinário trabalho que fez ao longo dos anos. Teremos saudades com toda a certeza!

Carlos Real