Classificação

8
Interpretação
8.5
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

Este artigo contém spoilers!

Depois do meu desabafo crítico no último episódio, confesso que fui ver este com as expectativas em baixo. Bom, não diria totalmente em baixo, mas vi sem grande pensamento crítico. Decidi sentar-me e usufruir daquilo que a série queria passar. A verdade é que gostei do episódio. No sentido mais profissional do argumento, não acho que tenha sido assim muito diferente, no entanto, acho que este episódio finalmente colocou as personagens no ponto de partida para soltar a história desta 3.ª temporada. Parece que foram precisos três episódios para os argumentistas dizerem qual o pressuposto da temporada e onde é que cada personagem vai participar. Se o podiam ter feito mais rápido? Acho que sim. Se foi mau? Não!

Neste episódio ficamos a conhecer a população de Sanctum, liderada por Russell Lightbourne. Percebemos que Russell é descendente dos primeiros colonizadores e isso dá-lhe um poder quase mitológico sobre os outros. Ainda assim, a vida em sociedade em Sanctum parece funcionar bem e todos parecem felizes. Descobrimos também que eles vivem debaixo de uma espécie de redoma que os protege da radiação e permite-lhes viver em maior segurança. Claro que este habitat parece interessante para os nosso heróis e Clarke, quem mais, vai tentar convencer Russell a deixá-los ficar lá. Isto já era previsível desde o início, mas gostei da forma como Clarke acabou por se relacionar com Russell. As cenas dos dois personagens foram interessantes e espero ver mais no futuro. Claro que quando Russell descobriu que Clarke tinha sangue da noite tal, como eles, passou a gostar dela e, claro, os nosso heróis ganharam uma nova casa. Bom, nem todos, porque, ao que parece, Diyoza ganhou uma fama nos livros de história que o metem ao nível de Hitler. Achei essa parte um pouco exagerada, para ser honesto. Percebi que eles quiseram tirar a personagem daquele meio, mas, mesmo assim, acho que foi colocar Diyoza num patamar negro demais.

Descobrimos também que existem habitantes fora do Sanctum. São uma espécie de tribo selvagem que procura entrar na redoma. Bellamy, Octavia, Raven e alguns membros do Sanctum saem da redoma para resgatar as pessoas da nave e, apesar de não ser necessário, Octavia dá numa de assassina impiedosa e ataca os selvagens para os matar. Bellamy expulsa a irmã, que agora passa a viver no meio deles e não dentro do Sanctum.

Daquilo que nos foi apresentado, confesso que acho que eventualmente vamos descobrir que as pessoas dentro do Sanctum são más e que os selvagens – ou filhos de Gabriel, como quiserem – são os que têm boas intenções. Parece-me que não estarei muito errado quanto a isso. Acho interessante no final do episódio que a Octavia tenha sido capturada por eles. Se eles de facto forem bons, como acho, talvez ela possa recuperar os valores humanos que outrora perdeu e seja ela a salvar os amigos. Ainda assim, quero ver mais do Sanctum. Achei o Russell um personagem muito interessante. Calmo, bom falante, sorridente e confiável. Cheira-me que ele se vai tornar no grande vilão da temporada, mas, mesmo assim, espero ver mais da relação dele com a Clarke. Esta temporada faz-me lembrar muito a 2.ª temporada, quando eles estavam presos no Mount Weather. Para mim foi a melhor temporada da série! Claro que repetições não se recomendam, mas pegando bem no tema pode ser que corra bem. Vamos ver!!

Carlos Real