Classificação

6.5
Interpretação
6
Argumento
9.5
Realização
8.5
Banda Sonora

[Contém Spoilers!]

Tales of the City é uma nova série da Netflix – já com todos os seus dez episódios disponíveis – que nos conta a história de uma família muito diferente, mas que, como todas, tem os seus problemas e intrigas.  Ao acabar de ver o piloto fico com sentimentos mistos. Parte de mim gostou, mas não o suficiente para ficar verdadeiramente interessado em ver o que vem para a frente.

Começamos por acompanhar o regresso de Mary Ann à sua cidade natal, São Francisco, depois de uma ausência de mais de 20 anos. É um instante até se perceber a qualidade da produção desta série, os cenários e a própria realização. Isso é claramente um ponto positivo no primeiro impacto que a série deixa em nós. O problema foi que a história não conseguiu cativar o suficiente.

Percebe-se rapidamente que Mary Ann tem os seus problemas com a família e que o aniversário dos 90 anos de Anna Madrigal é um evento bastante grande na cidade, mas que nem toda a gente fica feliz por a ver. Ellen Page, que faz o papel de Shawna Hawkins, faz uma fantástica interpretação de uma jovem confusa e com problemas com a sua mãe, sendo isto claramente um destaque no episódio. A questão é que uma família com os seus segredos e intrigas é um formato já repetido imensas vezes na televisão, pelo que pode ser boa (e esta série parece ser), mas quando o tempo é escasso não entra nas minhas escolhas. Tenta diferenciar-se das restantes com a sua abordagem a temáticas LGBT, o que é mais um ponto positivo, mas não o suficiente para mudar o meu veredicto final.

Aquele pequeno plot twist no final quase me fez mudar de ideias sobre continuar a ver (afinal de contas é mesmo para isso que servem os plot twists no final dos episódios, para obrigar o espectador a continuar a ver episódio após episódio e quando se dá conta já se vai na 3.ª temporada de Riverdale), achei interessante terem pegado em Anna Madrigal, que toda a gente adora, e fazer parecer que existe ali um segredo obscuro de que poucos sabem.

Em suma, parece ser uma série aceitável, mas sem um grande destaque. Se tiverem tempo livre aconselho a darem uma oportunidade. Se fazem uma seleção mais restrita de séries poderá não valer tanto a pena.

Mais um detalhe, a banda sonora é bastante boa.

O que acharam?

Raul Araújo