Classificação

7
Interpretação
7
Argumento
8
Realização
7
Banda Sonora

Shrill é uma nova série da Hulu, baseada na biografia de Lindy West e tem como protagonista Annie (Aidy Bryant), uma jovem jornalista que por ser plus size está constantemente a ser rebaixada em vários setores da sua vida como no emprego, nas suas relações e mesmo por estranhos que conhece no café.

Annie é uma personagem querida… demasiado querida. É aquele tipo de pessoa que ouve tudo o que os outros lhe tenham para dizer com um sorriso na cara, mesmo que a estejam a insultar ou a dizer algo com que não concorda. É ao mesmo tempo uma característica da sua personalidade bondosa e um problema em várias situações. Dei por mim a sentir pena de Annie, que, para ser gentil, não causar dramas e manter os outros felizes, acaba por se rebaixar a ela própria inúmeras vezes.

Mas ver esta rapariga com uma baixa autoestima a começar a fazer-se ouvir é algo de maravilhoso! Nem todas as situações foram perfeitas, mas Annie percebe finalmente que tem que  se colocar em primeiro lugar às vezes e que não há problema nisso. Foi algo que gostei muito de ver representado em televisão, já que pessoalmente me vi demasiadas vezes em situações como as da Annie, situações em que me devia ter feito ouvir e não o fiz.

Esta primeira temporada de Shrill tem 6 episódios de aproximadamente 30 minutos, o que me parece ser uma boa duração temporal para a audiência conseguir acompanhar o percurso de Annie no seu crescimento e auto-descoberta. É uma série curta, leve e divertida, com uma boa mensagem e uma boa representação. Este primeiro episódio não conseguiu apresentar convenientemente todas as personagens, mas parecem ter potencial! A colega de casa de Annie, Fran, parece ser uma sidekick perfeita, divertida e muito protetora de Annie.

Houve alguns momentos ligeiramente embaraçosos, como quando Annie fala por cima de um colega de trabalho para se fazer ouvir, o que provavelmente não foi a melhor decisão, mas todos esses momentos me pareceram ser uma aprendizagem para a protagonista. Ela pode cair em extremos ao início, mas faz tudo parte do seu caminho, por isso não me pareceram momentos fora de contexto.

Como já referi, é uma série leve, mas que me conseguiu cativar pela mensagem que pretende transmitir. Por seis episódios acho que vale a pena ver onde é que o caminho de Annie a leva!

Ana Oliveira