Boa noite! Hoje trazemos Michael C. Hall, o eterno Dexter, à rubrica mais famosa da segunda-feira. Nascido a 1 de fevereiro de 1971 na Carolina do Norte, Michael queria ser advogado. Contudo, depressa se apercebeu que o seu futuro estava na representação e acabou por especial o seu ensino secundário e superior nesse sentido. Sendo um ator muito versátil, Michael acaba por dividir a sua carreira pelo teatro, pela televisão e pelo cinema.

Foi em 1996 que se estreou como ator em alguns dos mais icónicos teatros de Nova Iorque. Embora nunca o tenha confirmado, ao analisarmos a sua carreira, nota-se que Michael tem um grande carinho por esta forma de representação, sendo, talvez, a sua preferida. Isto porque, embora tenha ganhado grande reputação no pequeno ecrã, sempre se recusou a abandonar o teatro e é raro o ano em que não está em cena com uma peça. A sua estreia não poderia ter corrido melhor, já que se estreou com duas peças de William Shakespeare, Henry V e Timon of Athens, no incrível Delacorte Theatre em pleno Central Parque. São muitas as peças em que o ator entrou a representar, a dançar e até a cantar.

É em 2001 que Michael se dá a conhecer ao mundo. A sua estreia na tv é em Six Feet Under, no papel do protagonista David Fisher. Com a morte de Nathaniel, o patriarca da família, David assume os negócios da família, pois parece-lhe a decisão mais acertada. Durante as cinco temporadas da série da HBO, acompanhamos David e a sua família, nas suas tristezas e alegrias, enquanto tentam gerir a funerária da família, superar as suas fragilidades e a morte trágica de Nathaniel. Os Fisher podem ser um poço de problemas, mas, à sua maneira peculiar, uma família unida que se protege. Pelo caminho percebemos que David é um homossexual que luta por manter as aparências, enquanto o seu coração lhe grita constantemente para ele sair do armário. A sua prestação não saiu despercebida perante os críticos, tanto que acabou por ter várias nomeações para prémios, tendo ganhado três.

Enquanto Six Feet Under está no ar, Michael desdobra-se em vários trabalhos no cinema, televisão e teatro. Em 2003, a sua estreia no cinema é num dos filmes do ano, Paycheck, onde contracena com Ben Afleck e Uma Thurman. Já em 2004 participa no filme para televisão Bereft, onde tem o pequeno papel de Jonathan. Por fim, em 2006, estreia-se na narração no filme para televisão Mysteries of the Freemasons.

Em 2006 volta a sair-lhe a sorte grande e ganha outro dos protagonistas inesquecíveis da televisão. Durante oito temporadas, Michael foi Dexter, no canal Showtime, onde de dia é um conceituado analista forense especialista em padrões de sangue e, à noite, é um assassino em série. Contudo, as suas vítimas são criminosos que, por via da burocracia da investigação criminal, acabam por fugir à justiça. Este modus operandi é-lhe ensinado pelo seu falecido pai adotivo, quando este se apercebe que adotou um rapaz com tendências homicidas com traços de sociopatia. O seu Dexter valeu-lhe dezenas de nomeações, tendo vencido em cinco categorias ao longo da duração da série. Graças ao sucesso de Dexter, entre 2009 e 2010 deu também a voz à sua personagem na websérie animada Dexter: Early Cuts.

Em 2011 entrou na comédia dramática Peep World, onde está no elenco principal com o papel de Jack Meyerwitz, no filme que explora as fragilidades de uma família. No caso de Jack, ele vive com a adição da pornografia, algo que lhe condiciona gravemente a sua vida social e amorosa. Ainda este ano, voltou à televisão como narrador no documentário Vietnam in HD que, em seis episódios, descreve os trinta anos da Guerra do Vietname.

Entre 2012 e 2014 consegue que o seu nome entre nos créditos de três filmes: em The Trouble with Bliss é o protagonista, o seu Morris Bliss é um homem de 35 anos que vive com o pai viúvo, além de uma carreira profissional pouco promissora, apaixona-se pela filha, de 18 anos, de uma colega de liceu; em Kill Your Darlings, ele é David Kammerer, um professor da Universidade da Columbia que se vê envolvido com um aluno numa relação destrutiva, onde os interesses de ambos são moralmente e legalmente questionáveis; no filme independente Cold in July volta a protagonizar com o seu Richard Dane, um homem que acidentalmente matou um invasor da sua casa, fazendo com que viva, desde então, com remorsos e um forte peso na sua consciência.

The Trouble with Bliss

The Trouble with Bliss

Já na televisão, entre 2012 e 2015, tem também três trabalhos: em  Ruth & Erica, que não foi além da primeira temporada, foi o narrador durante três episódios; no documentário Years of Living Dangerously, que aborda os perigos do aquecimento global, participa, em nome próprio, no episódio A Dangerous Future onde visita o Bangladesh e relata as consequências climáticas nos países considerados de terceiro mundo; e em Justice League: Gods and Monsters Chronicles empresta a voz nesta animação a Kirk Langstrom e ao Batman, representando, em simultâneo, o vilão e o herói. Ainda desde 2015, participação que durou até 2017, emprestou a voz a Toffee na série animada Star vs. the Forces of Evil.

Entre 2016 e 2018 consegue entrar em quatro filmes, tendo ainda mais dois em fase de fase final de produção. Em Christine, Michael é George Peter Ryan, colega da protagonista por quem ela tem uma paixão platónica, contudo, uma doença pode prejudicá-la profissionalmente, mas ajudá-la a conquistar o amor. Participa ainda num pequeno papel em After Adderall. Em Mark Felt: The Man Who Brought Down the White House, protagonizado por Liam Neeson, Michael é John Dean, um arquiteto que se vê desesperado com as informações que saem no Washington Post, sem saber como elas lá chegaram. Game Night é uma comédia de humor negro onde Michael é The Bulgarian, um misterioso chefe do crime, influente na compra e venda de itens raros roubados.

Em 2017, participa no episódio Dear Mrs. Kennedy de The Crown. Mas é em 2018 que volta ao protagonismo com a série Safe. Nesta série inglesa da Netflix, Michael é Tom Delaney, um excelente cirurgião pediátrico que vê a sua vida do avesso com a morte da sua esposa. A sua infrutífera tentativa de se aproximar das suas filhas adolescentes piora quando uma delas desaparece.

Hoje ficamos por aqui. Mas já sabes, para a semana voltamos com mais um ator ou atriz das tuas séries preferidas!