#1 Boa noite e bem-vindos a mais uma rubrica de “Atores de Primeira à Segunda-Feira” com Mireille Enos, uma atriz que terá passado talvez despercebida até à sua estreia num meio um pouco mais mainstream com The Catch. Preparados? Vamos então conhecer melhor a profissional por detrás de Alice Vaughan, a personagem principal da mais recente aposta da ShondaLand.

#2 Mireille Enos, o seu primeiro nome pronuncia-se ‘mee-ray’, nasceu a 22 de setembro de 1975 em Kansas City, Missouri, EUA. Filha de Monique Paulette, de nacionalidade francesa, e Jon Goree Enos, um americano do Texas, Mireille tem quatro irmãos, dois deles também atores.

#3 Mireille não recorda querer ter sido outra coisa que não atriz. Lembra-se de ser pequena e assistir às participações em peças de teatro de um dos seus irmãos, onze anos mais velho, e pensar que nunca tinha visto nada de tão mágico. Aos cinco anos de idade, a atriz muda-se com a família para Houston, cidade onde começa a sua educação na arte da performance, particularmente na High School for the Performing and Visual Arts.

#4 A atriz estudou teatro na Brigham Young University em Provo, Utah. Foi enquanto estudante que Mireille ganhou a prestigiada bolsa Irene Ryan Award, prémio que ainda hoje reconhece anualmente os melhores atores universitários. Durante o seu terceiro e último ano de estudos recebeu um convite para se juntar à Classic Stage Company em Nova Iorque. Comprou um bilhete de apenas ida e abandonou Houston. Quando o dinheiro lhe faltava, a atriz podia ser encontrada a vender bilhetes para o teatro durante a tarde, fazendo a sua performance durante a noite.

#5 A sua grande estreia em palco foi numa produção de Time of the Cuckoo no Lincoln Center. Ela era simplesmente uma suplente, caso algo acontecesse à atriz principal. Pois deu-se o caso de a colega se esquecer de aparecer na première da peça, tendo Mireille sido basicamente arrastada à última hora para o palco. “Eles empurram-me para o palco, e eu estava a pensar: Estou calma! Estou bem! E então fui pegar num copo e as minhas mãos estavam a tremer. Então pensei, OK, não toques nos adereços e vais ficar bem!”

#6 Mireille acredita que a espontaneidade daquele dia lhe terá aberto portas que, um ano mais tarde, a levaram de novo ao palco com a peça de Tom Stoppard, The Invention of Love (2001). Desde essa estreia, as suas participações na Broadway e off-Broadway foram recebendo cada vez mais aclamações, culminando numa nomeação para um prestigioso Tony na categoria Best Featured Actress in a Play, no ano de 2005. A atriz encontrava-se a interpretar Honey numa produção da Broadway de “Who’s Afraid of Virginia Woolf” de Edward Albee, ao lado dos veteranos da indústria Bill Irwin e Kathleen Turner.

Mireille Enos

#7 Embora em palco tenha começado a trabalhar bastante cedo, a sua carreira como atriz de televisão e cinema começou apenas em 1994, com um pequeno papel em Without Consent (1994), e foi progredindo vagarosamente. Mireille chegou a comentar numa entrevista que, ao contrário de muita gente, que se sente preparada para avançar numa carreira aos vinte anos, ela sempre sentiu que precisava de mais tempo para amadurecer como profissional.

#8 A sua estreia em televisão poderá dizer-se que, embora num papel bastante pequeno, foi em grande. Mireille Enos estreou-se no formato televisivo com Sex and the City. Em Shortcomings, título do episódio em que aparece, ela interpretou o papel de namorada da irmã da personagem de Justin Theroux, um dos namorados de Carrie Bradshaw. Ela tinha simplesmente uma fala, mas festejou-a como se fosse um papel principal. Foi a primeira audição a que foi em Nova Iorque e o primeiro papel com que ficou.

Mireille Enos

#9 Já a sua estreia no grande ecrã foi em Someone like you… (2001), ao lado de Ashley Judd, Greg Kinnear e Hugh Jackman, onde interpretava uma instrutora de ioga. Esse foi o primeiro e último papel que teve em cinema até voltar, mais de dez anos depois, com Gangster Squad (2013), ao lado de Sean Penn, Ryan Gosling e Emma Stone.

#10 Entre a participação em Sex and the City e a chegada aos papéis regulares, Mireille interpretou as mais diferentes personagens pelo mundo televisivo. Foi Carla em dois episódios de The Education of Max Bickford (2001), ao lado de Marcia Gay Harden, Richard Dreyfuss e Katee Sackhoff; foi também Fern em Strong Medicine (2003), Karen em Rescue Me (2004), Jessica Lawson em Without a Trace (2006), Dana em Standoff (2006) e Chloe Gorman em Shark (2006).

#11 Em 2007, o mundo da performance decide sorrir de novo a Mireille. A atriz tinha acabado de chegar de Londres onde tinha estado com a peça Who’s Afraid of Virginia Woolf e estava agora a viver na cidade de Los Angeles. Com o selo de qualidade da Broadway, Mireille é contratada para interpretar o papel de Kathy Marquart em Big Love. Era suposto ser uma participação de dois episódios, com apenas quatro linhas de texto, mas o seu talento cativou os criadores da série de tal maneira que acabaram por expandir a sua participação, chegando mesmo a torná-la parte do elenco regular.

#12 As curiosidades em relação à participação de Mireille Enos em Big Love não ficam pela simples promoção a regular. Após a HBO ter ordenado que se cortasse nos custos, os criadores viram-se obrigados a despedir a atriz. No entanto, pouco convencidos com a saída de Mireille do elenco, acabaram por recontratá-la para interpretar a gémea maléfica da sua personagem original, que entretanto tinha falecido na série, mantendo-a como convidada.

#13 A atriz confessa que Big Love foi uma grande escola em termos de funcionamento do mundo televisivo. Escola sem a qual, possivelmente, não teria conseguido um dos maiores e mais desafiantes papéis da sua carreira. Mas antes de vestir a pele de Sarah Linden em The Killing, Mireille participou também em Crossing Jordan (2007), Numb3rs (2008), Medium (2008), CSI: Miami (2008), Lie to Me (2009) e Law & Order: Criminal Intent (2009).

#14 Em 2010 começou a sua aventura em The Killing. A série, uma adaptação da holandesa Forbrydelsen pelas mãos de Veena Sud, segue uma investigação policial de um homicídio. Cada episódio é um dia, criando uma atmosfera íntima entre o espectador e as personagens que, de um ou outro modo, se veem envolvidas no caso. Este clima é reforçado pelo cinzento da chuvosa cidade de Seattle.

#15 Embora a criadora da versão americana, Veena Sud, diga hoje que assim que viu Mireille Enos sabia que ela era a pessoa perfeita para o papel, o processo de seleção foi bastante moroso. A AMC estava a escolher a sua primeira personagem principal feminina e queriam ter a certeza de que todas as opções possíveis eram tidas em conta. Mireille chegou ao casting com duas cenas preparadas, sendo que lhe foram pedidas outras duas, no momento, e depois ainda mais duas. À intensidade do processo seguiram-se mais de seis semanas de silêncio que levaram a atriz ao ponto de questionar o seu futuro profissional.

#16 A série, que foi por duas vezes cancelada, gerou bastante polémica e aclamação pelo mundo da crítica, a última especialmente no que diz respeito à performance do elenco. A interpretação de Sarah Linden rendeu à actriz uma nomeação para um Emmy na categoria de Outstanding Lead Actress in a Drama Series, para um Golden Globe na categoria de Best Performance by an Actress in a Television Series – Drama, e para três Saturn Awards na categoria de Best Actress on Television, entre outras.

#17 Durante o decorrer de The Killing, Mireille começou a aumentar a sua presença no grande ecrã, sendo o seu papel mais famoso talvez o de esposa da personagem de Brad Pitt em World War Z (2013). Mas para além dessa participação, Mireille contracenou com grandes nomes em Devil’s Knot (2013), ao lado de Colin Firth e Reese Witherspoon; Sabotage (2014) com Arnold Schwarzenegger, Sam Worthington, Terrence Howard e Olivia Williams, e em The Captive (2014), na companhia de Ryan Reynolds, Scott Speedman e Rosario Dawson. A sua mais recente personagem em cinema é Kat em If I Stay (2014).

#18 Este chorrilho de participações culminou numa chamada que a atriz confessa quase tê-la feito cair da cadeira: “Estarias disposta a ler este piloto? É da Shonda Rhimes.”

#19 Confessando estar na esperança de trabalhar num projeto mais ‘leve’ após os quatro intensos anos em The Killing, The Catch chegou-lhe às mãos como uma lufada de ar fresco. Embora as personagens Sarah Linden e Alice Vaughan até tenham bastantes coisas em comum, o modo como as duas séries as pintam é completamente diferente.

#20 Cinturão negro em Tae Kwon Do, Mireille não tem qualquer problema em desarmar um possível atacante ou em correr de saltos altos. Aliás, as suas aptidões físicas foram demonstradas e bastante usadas durante a primeira temporada da série. O que mais confusão lhe fez foi realmente o guarda-roupa de Alice. Habituada a personagens cuja beleza física era de certa forma quase que não explorada, Mireille fala agora em preocupações que vão desde o posicionamento do seu cabelo aos adereços.

#21 The Catch, recentemente renovada para uma segunda temporada, estará certamente de volta já este outono, continuando a fazer parte das famosas quintas feiras da ABC.

#22 Até lá, será possível ver Mireille em três novos projetos: You Were Never Here, Behold My Heart e Katie Says Goodbye, que se encontram de momento em fase de pós-produção.

Mireille Enos

#23 E termina assim mais uma rubrica de “Atores de Primeira à Segunda-Feira”. Esperamos que tenham gostado de conhecer um pouco melhor Mireille Enos, a atriz que confessa que se a arte da performance não estivesse ao seu alcance, ela certamente não se importaria de ser dona de um café como o dos seus avós em Nice, França. “Há qualquer coisa de romântico nisso.”