Classificação

9
Interpretação
6.5
Argumento
8
Realização
8.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Ora, ora, ora. Com Previously OnWandaVision teve o seu maior episódio até agora. Tivemos uma visita ao passado, cenas de antigos filmes da Marvel, a primeira menção a Scarlet Witch, muita emoção e um pequeno (grande) filler no penúltimo episódio da primeira minissérie da Marvel para o Disney+.

Sim, disse que este episódio foi um pequeno filler porque, mais uma vez, tivemos um episódio cuja maioria foi recheado de informações que já conhecíamos. No entanto, a série ganha ao apostar em colocar Elizabeth Olsen no estrelato máximo e ao ajoelhar-se perante ela e a sua genialidade ao dar cada vez mais camadas à sua Wanda Maximoff.

O episódio começa imediatamente após o final de Breaking the Fourth Wall, com Wanda a entrar na casa de Agatha Harkness para recuperar os filhos. E aí começamos uma viagem pela vida de Wanda, desde os tempos em que vivia feliz com a família em Sokovia e eles assistiam a séries de comédia americanas para praticarem o inglês. Aí foi explicado todo o aspeto de sitcom em Westview. Era o hobby da família dela e a maneira como descontraíam numa nação em guerra. Faz sentido que ela quisesse o mesmo na sua família ideal quando criou o hex. A seguir, visitam a sua vida depois de se ter aliado a HYDRA e a sua experiência com a Pedra da Mente… Será que isso terá alguma ligação com o que acontecerá no último episódio?

Após os acontecimentos de Avengers: Endgame, Wanda era uma mulher destruída. Contudo, o seu objetivo nunca foi ressuscitar Vision, como indicou Hayward. Ela queria dar-lhe paz, dar-lhe um funeral. Contudo, Vision não é um homem normal, foram muitos milhões de dólares em vibranium e claro que vai ser usado como arma de guerra… Mas já lá vamos.

Gostei muito da escolha de Kathryn Hahn como Agatha Harkness. Sempre a vi no mesmo registo de comédias românticas e vê-la interpretar uma bruxa no Marvel Cinematic Universe dá-me alegria porque ela é uma excelente atriz. Espero que a incorporem em futuros filmes da quarta fase e que explorem mais personagens femininas, que isso é a maior falha que a Marvel teve até agora (e não compensou aquele girl ensemble em Avengers: Endgame, de todo!). Também achei interessante a interação entre Hahn e Olsen, acho que são uma boa combinação se a Disney seguir com a relação que ambas têm na banda desenhada.

Quando Wanda diz que simplesmente criou Westview, as suas palavras eram verdadeiras. Ela descobre que Vision comprou um terreno para eles na cidade para construírem uma casa e envelhecerem juntos. A dor foi tão grande e insuportável de conter que ela, sem querer, soltou os seus enormes poderes para construir a sua vida real. Wanda não é uma vilã. É uma personagem cinzenta, mais para o lado do bem, mas com lados de escuridão. Não me canso de dizer que precisamos de mais personagens assim no Marvel Cinematic Universe.

Vamos ver como será o último episódio, se realmente os vilões da temporada são Hayward e Harkness ou se há algo maior engendrado para o final da temporada. Eu espero que sim! Já disseram que vai ser o episódio mais longo da série. Vai ser o episódio do reencontro entre Wanda e Vision. Vamos descobrir o que aconteceu a Monica depois de ter encontrado Pietro – já agora, fiquei bem desiludida pelo facto de eles não terem extendido o multiverse do Marvel Cinematic Universe para o do X-Men. O que será de Billy e Tommy? Espero que os miúdos sobrevivam para lá desta versão imaginada de Westview. Os miúdos são uns fofos e Wanda ama-os a sério e Vision igualmente.

Fiquei meio boquiaberta com Vision na sua versão branca, mas claro que o iam trazer de volta à vida. Usaram o poder de Wanda para o trazer à vida. Será que vão usá-lo para destruir o hex? Fiquei mesmo excitada e entusiasmada.

O que achaste deste Previously On… de WandaVision? Teorias para o último episódio, por favor!

Maria Sofia Santos