Classificação

9
Interpretação
6.5
Argumento
7.5
Realização
8
Banda Sonora

[Contém spoilers]

WandaVision regressa para mais uma semana e mais mistérios neste Now In Color. Parece que o formato de episódios semanais do Disney+ veio para ficar. Honestamente ainda não me decidi se prefiro assim ou o modo Netflix de lançar uma temporada de uma vez. Não me imagino a ter episódios semanais de séries como Stranger Things, por exemplo. É demasiada emoção para esperar, mas estou a divagar.

Depois de uma estreia dupla, a minissérie trouxe-nos outro episódio curtinho e com o mesmo esquema dos dois primeiros. Contudo, aquilo que me fascinou a semana passada parece ter perdido o encanto. Não sei bem o que esperava neste terceiro episódio, porém, para uma série que apenas contará com nove episódios, é meio chato termos mais mistérios do que respostas. O estilo comédia romântica, tipo Bewitched (Casei Com uma Feiticeira) está bastante bem feito e fico deliciada com a performance de Elizabeth Olsen. Ela é maravilhosa e brilha em todas as fases da sua Scarlet Witch, seja a chorar a sofrer com as mortes de Pietro e Vision, seja como uma durona maravilhosa nos restantes filmes em que apareceu e agora nesta versão cómica. Como já disse a semana passada, também Paul Bettany é maravilhoso como Vision. Mas o ouro aqui é todo da mana Olsen mais nova.

WandaVision parece avançar já para os anos 70 neste Now In Color, notando-se nas roupas e nos penteados de Wanda e Vision, assim como na decoração da casa. Wanda apareceu grávida no final do segundo episódio e neste as coisas desenvolvem-se rapidamente e a coisa fica ainda mais estranha. Primeiro que tudo é meio impossível ela engravidar, visto que Vision é literalmente uma máquina. Segundo, nenhum deles questionou a gravidez. No entanto, ri-me bastante quando apareceu literalmente uma cegonha no meio da sala, vinda do nada! Uma pessoa pode dizer muita coisa, mas criticar a comédia na série não é uma delas.

No entanto, o mistério constante começa a deixar-me nervosa. E a falta de respostas. Será possível que ainda não tenhamos descoberto como é que Vision está vivo? Será que isto é apenas uma realidade criada por Wanda para superar a morte do namorado em The Avengers: Infinity War? Já certo e sabido que Westview é tudo menos uma cidade normal, a conversa que Vision teve com os vizinhos foi um forte indicador de que tudo o que se passa ali é uma fachada. WandaVision é a ‘catapulta’ da Marvel para dar início à quarta fase da história e eu adorava saber como.

Não sei quanto a vocês, mas arrepiei-me de cima a baixo quando Wanda mencionou Pietro e Geraldine comentou que tinha sido Ultron a matá-lo. Fiquei de coração partido pela imensa tristeza de Wanda (já mencionei nesta review que estou apaixonada por Elizabeth Olsen?) a falar do gémeo e boquiaberta por a vizinha saber tal informação. Contudo, neste momento entendemos que algo muda em Wanda, que ela sai da sua bolha de felicidade em Westview como se tivesse levado um estalo. A menção da morte muda tudo, assim como o colar (com uma espada) de Geraldine. Será que é no quarto episódio que levantam um bocadinho o véu?

No final do episódio, Geraldine é socorrida por vários agentes da S.W.O.R.D (em português “espada”), que é uma agência antiterrorismo, secreta e poderosa como a S.H.I.E.L.D.. A diferença entre as duas é que a S.W.O.R.D. está encarregue do espaço e de proteger a Terra de ameaças de outros planetas. O símbolo da agência tinha aparecido no avião no qual pegou Wanda e na roupa do homem que sai do esgoto no final do último episódio.

Maria Sofia Santos