Classificação

9
Interpretação
8.8
Argumento
8.7
Realização
8.9
Banda Sonora

Contém spoilers!

The Walking Dead continua firme no caminho do sucesso com mais um episódio de prender ao ecrã e de deixar o coração a bater mais depressa do que é suposto com algumas cenas que trouxeram à memória temporadas passadas. Ainda que não tão forte como a anterior, esta décima temporada tem-se demonstrado merecedora da apreciação do público.

What It Awlways Is não foi um episódio cinco estrelas do início ao fim. Teve sim certos momentos espetaculares que o tornaram num dos melhores da season até agora. O holofote incidiu, sem dúvida, sobre Negan e a sua jornada para a redenção. Ou melhor dizendo, na sua jornada para se continuar a redimir pelos erros do passado. O encontro com este “fã” trouxe ao de cima o melhor e o pior que há em si. Pudemos ver que, apesar de ter bastante vontade de o matar (quem não teve com toda aquela conversa do assobio e de como as coisas costumavam ser?), Negan optou por mandá-lo embora. Foi a coisa acertada a fazer, mas o fanático tinha de estragar tudo, não é?

Confesso que me continuo a debater imenso por agora gostar de Negan. Nunca, mas mesmo nunca vou esquecer o que fez a Glenn. Contudo, os argumentistas fizeram um trabalho excelente com este arco redentor e é impossível não sentir empatia para com esta personagem. Quer dizer, ele estava a fazer tudo bem até aquele troglodita se lembrar de adorar uma pessoa que, hopefully, já não existe. Confesso também que foi bom vê-lo a vingar-se por aquela mãe e filho (isto diz alguma coisa da minha sanidade mental?). Já repararam em como esmagar cabeças é o seu signature move? Bem, e quanto ao reencontro com Lucille o que dizer? Só espero que a utilize para esmagar as cabeças certas desta vez. Aquele final foi um cliffhanger como ainda não tinha visto neste reiniciar de temporadas de séries e espero que o próximo episódio seja de arromba.

De resto, tivemos foco novamente em Yumiko e Magna e não estou muito bem a ver qual a razão. Fiquei com a leve impressão de que Magna poderá trair o grupo e aliar-se aos Whisperers, mas espero estar enganada. A busca por Kelly, assim como toda a sua cena com os walkers também me deixou um pouco confusa. Porquê dar tanta relevância? Percebo que de outra forma não nos poderiam mostrar que Magna tem estado a roubar mantimentos a Hilltop, mas mesmo assim. Por que não darem mais tempo de antena a Connie e Daryl e fazerem deles oficialmente um casal? Isso sim, era de valor.

Por fim, mencionar ainda Ezekiel e aquele que parece ser o seu final iminente. A personagem tem vindo gradualmente a decrescer de qualidade e parece que a única forma que encontraram para o tirarem de cena foi dar-lhe uma doença terminal. Talvez tenha uma morte heróica, ao invés de ir definhando. E quase me esquecia! Aaron arriscou bastante ao contactar diretamente com Gamma. Não sei o que poderá vir dali.

Sei sim uma coisa: acho que a produção começa a deitar pela janela o trunfo que tem em mãos. Estão a deixar alongar demasiado o derradeiro confronto com os Whisperers. Já percebemos que Alpha não tem mercê por ninguém e que mata num piscar de olhos e acho que ao vermos isso uma e outra vez tira piada à coisa. Também em relação a isto espero estar enganada e começar a ver um maior desenvolvimento nos próximos episódios.

Beatriz Caetano