03x10 - Evermore

03×10 – Evermore

Contém SPOILERS!

O dia pelo qual Ryan tanto esperava chegou finalmente para ele, mas deixa em nós um vazio que dificilmente será preenchido. Tratando-se de Joe Carrol as coisas não poderiam ser tão lineares tanto quanto alguns desejariam e o grande vilão de The Following tinha uma última palavra a dar.

Sabíamos já desde o episódio passado que Joe Carrol tinha alguma coisa em mente para a sua execução e eu sempre pensei voltar a vê-lo fora da prisão. Mas tudo o que ele pretendia era voltar a ter a atenção de Ryan.

Joe a certa altura refere que toda a situação dos reféns seria posta completamente de lado caso Ryan tivesse concordado em assistir à sua execução, tentando mais uma vez fazer Ryan sentir-se culpado pela eventual morte dos que estavam naquela sala. Claro que os produtores não dispensariam a oportunidade de colocar Ryan e Joe lado-a-lado uma última vez, e ainda bem que o fizeram.

A ligação entre estes dois personagens foi uma constante desde os inícios da série e mesmo com Ryan a quer negá-lo até ao último segundo, no fundo ele tem a perfeita noção disso mesmo. A confirmação de que Joe aparecera em alguns dos sonhos de Ryan foi o que o vilão sempre quis ouvir e deu-lhe a crença de que o seu legado irá para sempre viver por intermédio de Ryan. Posto isto, Joe teve a paz necessária para finalmente morrer, mas não sem antes dar uma pequena informação a Ryan sobre Theo.

Apesar de ter apreciado cada segundo das cenas entre estas duas personagens, para a narrativa de muito pouco serviu. Praticamente todo o episódio desenrolou-se à volta desta situação e para quê? No final do dia Joe acabou na mesma por ser executado. Esperava sinceramente que o plano de Joe pudesse vir a influenciar muito mais a narrativa até ao final da temporada e que a sua execução fosse adiada por alguns episódios.

A participação de James Purefoy na série não deverá terminar por aqui, acreditando eu que ele ainda aparecerá muitas vezes nos sonhos e alucinações de Ryan. Já o desaparecimento de Joe Carrol irá certamente influenciar, e muito, a narrativa pois queiramos, quer não, ele foi desde sempre o grande vilão desta série e ninguém o conseguirá substituir.

Quanto a Theo, que será o grande foco da narrativa até ao final desta temporada, a sua participação passou claramente para segundo plano, mas ainda assim tivemos alguns desenvolvimentos.

Afinal de contas Theo não está sozinho no mundo. Ele possuiu uma irmã que, ao contrário da família que possuía, sabe perfeitamente quem ele é e o que ele faz, e de quem ele parece preocupar-se verdadeiramente.

Ele possuiu um grande plano para se livrar de todas as atenções que foi arrecadando ao longo deste ano e parece que a morte de Ryan será a grande chave do mesmo. Por falar em chave, ele conseguiu finalmente decifrar o código do Strauss que, como não poderia deixar de ser, estava relacionado com literatura, mais propriamente H.P. Lovecraft. Ele deu ainda um cheiro da sua graça na situação que se desenrolava na prisão, ao invadir o sistema da mesma e libertando os restantes prisioneiros que lá se encontravam.

Faltando ainda cinco episódios para o final desta temporada, a grande preocupação de Ryan será Theo e preocupo-me se o mesmo será tema interessante o suficiente para o que ainda resta da temporada.

É verdade que Mark ainda continua por aí, mas é uma personagem ainda menos interessante. O que acham que poderá acontecer daqui para a frente? E já agora como será que Ryan reagirá quando souber que vai ser pai?

Nota: 7/10

Carlos Oliveira