03x07 - The Hunt

03×07 – The Hunt

Contém SPOILERS!

Depois da introdução de mais um vilão, a expetativa em torno do mesmo era grande e começamos agora a ter uma noção mais clara do que ele é capaz.

Já na semana passada referi que Theo era um vilão muito promissor, mas não sei se o suficiente para superar Joe Carrol. Ele possui uma versatilidade fora do comum, o que lhe permite tornar um pouco mais simples o seu hobbie.

As suas excelentes capacidades de hacker, como não poderia deixar de ser, provêm do seu trabalho normal, já que ele trabalha para uma das maiores empresas de segurança dos EUA. Por outro lado isso oferece-lhe um acesso privilegiado ao sistema do FBI, sendo mais fácil monitorizar os movimentos dos agentes. Foi desta forma que ele conseguiu resgatar Duncan.

Mas este resgate não acontece por acaso. Sendo Duncan um dos ex-alunos de Strauss faz dele um bom aliado para Theo na tentativa de resolver algumas pontas soltas que ficaram, e como já sabemos ele não se sente há vontade com assuntos por finalizar.

Para isso é necessário por um ponto final no falsificador de documentos com quem Strauss vinha a trabalhar. Isto leva-nos para a habitual concorrência entre vilões e forças policiais, já que Luis Serra está também no radar de Ryan Hardy. Infelizmente para Ryan, Theo consegue estar sempre dois passos à sua frente.

Mas a ida de Max para a Manitech Security faz soar mais um alarme e força Theo a deixar Luis ao encargo de Duncan. Fazendo uso do seu posto pontual de trabalho, ele consegue circular livremente pelas instalações da empresa e seguir atentamente todos os movimentos de Max. Consoante as conclusões a que a equipa de especialistas ia obtendo, Theo foi incriminando, e até mesmo matando, alguns dos seus colegas para que o seu envolvimento passe despercebido.

Já Ryan anda também na perseguição de Luis e as coisas acabam por correr de feição para ele graças à condução dos acontecimentos entregue a Duncan. Luis caba por ser capturado com vido pelo FBI e estou firmemente convencido de que as coisas não seriam tão lineares caso Theo não tivesse de abandonar este alvo.

Este novo suspeito tráz velhos conhecidos à narrativa, sendo eles Scott Turner e Nick Donovan. Este último vem para substituir Gina no comando das operações e espera-se uma relação tensa entre Nick e Ryan.

E isso já se notou aquando da incriminação do chefe máximo da Manitech Security. Para Nick está ali o homem que eles têm vindo a procurar e que o FBI trabalha com provas e não intuições. Já Ryan vê tudo isto como sendo óbvio de mais e portanto não poderá ser obra de alguém superior a Joe Carrol.

Joe Carrol tem já a sua execução marcada para 7 dias após os acontecimentos deste episódio e o seu fim parece estar muito próximo. Caso a personagem venha de facto a desaparecer da série, a sua perda será enorme muito por culpa da extraordinária contracenação entre Kevin Bacon e James Purefoy.

Apesar de ter achado o desenrolar deste episódio muito mais fluido que os últimos, o desenvolver da narrativa foi praticamente nulo e esse é provavelmente o principal fator justificativo da nota que dou a este sétimo episódio.

Nota: 6.5/10

Carlos Oliveira