Classificação

8.5
Interpretação
8.5
Argumento
8.5
Realização
8.5
Banda Sonora

Este artigo contém spoilers!

Bem vindos ao planeta Bardo meus amigos! Finalmente chegamos ao planeta onde tudo acontece. Começo logo por dizer que este episódio foi bastante bom. Diria que tirando as cenas do Sanctum, onde claramente a questão do sheidheda já não nos prende como em temporadas anteriores, este talvez tenha sido o melhor episódio da temporada.

Fazendo uma analogia, este episódio foi como se estivéssemos a fazer um puzzle e juntássemos mais uma peça e  de repente começamos a ver a imagem do mesmo. Tivemos assim várias cenas que se encaixam na linha temporal e que nos fizeram perceber o que tem acontecido ao longo deste últimos sete dias (sim só passaram sete dias) que mais parecem ter sido anos e anos. Bem, para Hope, para Gabriel e para Echo foram mesmo!

Tivemos muito do que aconteceu com Octavia ao longo do tempo em que ela esteve em Bardo. Foi interessante ver as instalações onde eles leem as informações da cabeça das pessoas. Apesar de termos visto pouco foi percetível que o planeta tem tecnologia de ponta e e controla com total conhecimento todas as questões da anomalia. Descobrimos também o tal personagem Anders, interpretado pelo ator Neal McDonough, também conhecido no mundo das séries por ter sido Damien Dark em Arrow. Anders é claramente visto como um ser superior na comunidade. Diria que ele veste a pele de profeta ou de alguém que passa a palavra e o culto da tal entidade que eles chamam de pastor. Achei a escolha do cast muito boa. Neal tem mesmo aquele ar de super vilão disfarçado de homem poderoso e pelo pouco que vimos neste episódio acho que ele funciona bem como Anders. Curioso também é o desejo quase bíblico de que eles precisam de Clarke para ganhar a guerra. Ainda não percebi bem qual é a guerra que eles tanto apregoam e porque raio é que Clarke é a chave de tudo mas bom, certamente terá toda uma explicação.

O nosso querido Bellamy regressou. É verdade! Mas foi por pouco tempo porque decidiram explodir com o rapaz. Sinceramente fiquei meio desapontado com a cena. Não que ela não funcione bem no episódio mas estivemos cinco episódios à espera de Bellamy e quando ele aparece é para desaparecer outra vez. Sinceramente tenho quase a certeza que ele não morreu. Acredito que ele saltou para a anomalia antes da explosão. Resta é saber em que planeta é que ele está. O mais expectável seria que ele tivesse ido parar ao planeta de gelo e lá se reencontrasse com Clarke e o resto da malta mas com todas as pistas que o ator vai mesmo estar fora em quase todos os episódios, o nosso Bellamy deve estar por aí perdido num planeta qualquer e só voltará a ser visto daqui a alguns longos episódio. Quem não gostou nada disto foi a Echo que deu em louca.

No Sanctum aconteceu o menos interessante do episódio. Se estás a ler isto acredito que viste o episódio por isso sabes bem das cenas que estou a falar. Acho mesmo toda a narrativa uma chatice. Às vezes fico com a ideia que eles próprios acham isso e é por isso que tentam resolver tudo de uma vez. Ainda assim, não seria justo não dar os parabéns para a cena onde Indra descobre que Russel é o sheidheda. Achei que todo aquele momento, desde realização, interpretação e banda sonora criaram um momento de tensão fantástico que certamente nos prendeu ao ecrã.

Apesar desta parte menos interessante no Sanctum, o episódio foi bastante bom e toma mesmo a dianteira no lugar de melhor da temporada até então. Apesar de estar com um ritmo lento e ainda com algumas partes mais chatas, a temporada está a ser uma agradável surpresa. Esta questão da timeline que temos de montar porque o tempo é diferente num dos planetas também veio ajudar a criar o interesse e sem dúvida que estamos lançados para um bom final de série.

Até para a semana!