10×22 – The Prisoner

10×22 – The Prisoner

Contém SPOILERS!

Estamos a um episódio do season finale e Supernatural apresentou um bom episódio, talvez um dos melhores da temporada. A grande questão é que a série está a apresentar o dilema presente em todos os finais das últimas temporadas, em que um dos irmãos está próximo da morte ou de uma alteração fisiológica/psíquica radical.

Charlie morreu pouco depois de Dean descobrir que Sam lhe tem mentido sobre o Book of the Damned e a execução do feitiço de remoção da marca de Caim. A relação está tão fragilizada que Dean manda calar o discurso fúnebre que Sam estava a proferir. O funeral e o flashback a retratar algumas das cenas de Charlie com os irmãos Winchester foram comoventes, dignos para a despedida de um caçador. É de salientar que Charlie foi das poucas personagens que fez participações pontuais de quem o público se lembra e por quem nutre um carinho especial.

Como seria de esperar, os dois irmãos mantêm posições antagónicas em relação ao futuro de Dean. Por outro lado, Dean e Sam têm memória curta e esqueceram-se de que já passaram por situações semelhantes inúmeras vezes e até nos papéis opostos… quando um está mal, o outro nunca desiste de o salvar, independentemente das consequências.

A revolta de Dean não se prende apenas com a traição do irmão e a morte de Charlie, está também relacionada com o efeito que a marca tem em si. Contrariamente a Caim, Dean não tem força para resistir aos impulsos que esta maldição lhe trás. Decidido a vingar a morte da amiga, Dean dirige até Shreveport, no Louisiana, onde os Stynes são deuses para a população. Ainda não percebi bem como é possível uma família manter-se no anonimato e ser a dona de uma cidade. Também não necessito de entender, já que Dean conseguiu o feito de eliminar a família toda num único episódio. Fiquei um pouquinho desiludido com a situação, contava com os Stynes como inimigos na próxima temporada. Sabendo que os Stynes estão no bunker dos Homens de Letras, Dean regressa e acaba por matar os que restavam, incluindo o ingénuo Cyrus que, embora pertença aos lunáticos, apenas quer uma vida normal. Quando Castiel, a pedido de Sam, vem controlar Dean, acaba por levar um valente excerto de porrada, algo que eu não estava à espera. É uma questão de tempo até que Dean volte a exibir os seus olhos negros de demónio.

Sam não desiste de curar Dean e recebe o email com o código para decifrar o feitiço, mas Rowena, aproveitando este momento de fragilidade, apenas o fará quando Crowley estiver morto. O problema é que o rei do inferno é duro de roer e quase mata Sam, jurando ainda que a mãe vai sofrer!

Questões em análise:

  • Rowena vai traduzir o feitiço mesmo sem a morte de Crowley? Dificilmente acredito que o faça.
  • Vai Sam conseguir matar Crowley ou arranjar modo de enganar Rowena?
  • Qual o preço por um feitiço tão poderoso?
  • Quando tempo Dean aguenta sem se transformar em demónio?
  • E já agora, por onde anda o pérfido Metatron?

Nota: 8/10

Rui André Pereira