Classificação

8.5
Interpretação
9
Argumento
8
Realização
7.6
Banda Sonora

Alex: Because you just turned Supergirl into the monster you always thought she’d be (Porque tornaste a Supergirl no monstro que sempre pensaste que seria)

Mas que episódio, minha gente, mas que episódio!! A série andava a ser tímida e a não querer dar o empurrão que conduziria a história até à sua season finale. Pois bem, em Falling tivemos uma Kara muito, muito diferente do que nos habituaram até agora.

Ao salvar uma equipa de bombeiros de um fogo, Kara é exposta a kryptonite vermelha. Em vez de neutralizar os seus poderes, afeta a personalidade da super-heroína e o que há de pior em si vem ao de cima. Todos já tivemos momentos parecidos com este, certo? Dias em que só apetece dizer às pessoas o que pensamos delas. Bom, a Kara andou o episódio todo a espalhar veneno. Que banho de sangue metafórico.

Kara começou a sua caminhada pelo mal de maneira mais ou menos subtil. Mudança de roupa (tão giras, meu Deus!!!), a deixar criminosos fugir, a despedir Siobhan (que andava a pedi-las, mas mesmo assim…). Mas o pior não tardou a chegar.

Já sabíamos que Alex dependia muito da irmã e que tinha ciúmes dos seus poderes e da atenção que levava dos pais e de todos à sua volta. Começo pela conversa das duas porque foi a mais brutal. Kara não se conteve e disse a Alex tudo o que lhe passara na cabeça. Chyler Leigh e Melissa Benoist estiveram no seu melhor. Prova de que a relação das duas funciona a todos os níveis.

Cat deve ter tido algo perto de um ataque cardíaco depois de Kara a ter atirado do edifício da CatCo para comprovar que não era a empresária a pessoa mais poderosa em National City. Este confronto levou Cat a fazer um anúncio que lhe partiu o coração em mil pedacinhos. Avisou a população que a Supergirl já não era de confiança e para se manterem afastados. De um símbolo de esperança e de um exemplo a seguir, para uma heroína caída em desgraça.

Com James foi um balde de água fria. Depois de Lucy ter deixado o fotojornalista e de se ter despedido da CatCo, tudo apontava para que ele e Kara dessem o passo seguinte, que se entendessem pelo menos. De alguma maneira. Mas Kara tinha de abrir a boca diabólica e complicar as coisas mais uma vez. Mais valia ficar com o Winn. Ao menos não havia tanto drama.

E de quem foi a culpa disto tudo? De Maxwell Lord, obviamente. Esse raramente aparece e quando dá o ar de sua graça é para fazer asneira. Claro que ele quis recriar kryptonite e, sem saber os efeitos daquilo, deixou na esperança aleatória de apanhar Non. Sem informar o DEO. Meu Deus, odeio este homem. A sério.

No final, J’onn acabou por se revelar ao mundo e os receios da Senadora Crane em relação aos extraterrestres voltou e, claro, o lugar como diretor do DEO foi por água abaixo. O que acontecerá a Hank? E, já que Lord falou em Non, quando é que ele volta a aparecer com o seu plano Myriad? E será a última vez que vemos Siobhan? Ela há-de querer vingança de Kara!

Maria Sofia Santos