When Calls the Heart: a vida numa pequena cidade mineira
| 25 Ago, 2021

[Não contém spoilers]

When Calls the Heart era mais uma série que estava há muito tempo na minha lista e foi desta que vi o episódio piloto. Depois de me ter aventurado com Chesapeake Shores, também do Hallmark Channel, da qual desisti em modo quase de desespero ao fim de 15 minutos, as minhas expectativas eram um tanto ou quanto baixas.

No entanto, When Calls the Heart começa de forma bastante digna, entregando um piloto que tanto consegue ser engraçado como promete tornar-se uma daquelas séries de conforto. A série é baseada numa coleção de best-sellers de uma autora canadiana, Janette Oke, da qual nunca li nada. A trama passa-se em 1910, numa pequena cidade mineira do Canadá, e centra-se em Elizabeth Thatcher (Erin Krakow), uma jovem professora que pertence a uma família da classe alta e se vê então no meio do nada, num local assolado por uma desgraça recente.

A série tem alguns clichés que, no entanto, se desculpam perfeitamente porque é fácil de gostarmos dos personagens, a história tem o seu quê de envolvente e o potencial está presente. É evidente que Elizabeth tem ali um interesse amoroso pelo bem-parecido guarda a cavalo, mas a interação um tanto ou quanto hostil entre os dois é engraçada e a personagem principal parece alguém de quem nos tornaríamos facilmente amigos. Ela não parece encaixar-se muito bem naquele sítio, mas é corajosa e destemida e não vai deixar de se esforçar para se integrar e para fazer a diferença junto daqueles miúdos, que poderão ter um destino bem melhor, afastados das minas, se tiveram a oportunidade de seguir em frente na educação. Elizabeth é também um tanto ou quanto trapalhona e propensa a acidentes, o que gerou alguns momentos engraçados.

When Calls the Heart não será a maior pérola da televisão, mas parece-me que é uma boa aposta para aquelas pessoas que gostam de séries fofinhas e leves. Podes vê-la na Netflix.

Diana Sampaio

Publicidade

Populares

calendário estreias

slow horses poster

Recomendamos