Classificação

8.5
Interpretação
8
Argumento
7.5
Realização
5
Banda Sonora

[Não contém spoilers!]

Da Alemanha chega mais uma produção Netflix, uma série intitulada The Last Word, que segue a história de Karla Fazius (Anke Engelke), uma mulher que após perder o marido subitamente, descobre que a sua vocação é discursar em funerais, conseguindo arranjar as palavras certas para honrar a pessoa falecida e ajudar a família em causa no seu luto.

Como dá para entender pela sinopse, esta série é uma mistura de drama e comédia. O primeiro episódio foi mais negro, porque se foca nos momentos após a morte do marido e as várias reações da família, mas penso que, a partir deste ponto, a série está mais encaminhada na direção da comédia, com as várias peripécias que surgirão com a nova vocação de Karla.

Tenho de admitir que o início do episódio não estava a conseguir prender a minha atenção e até pensei que a série não fosse ser nada por aí além. A comédia não era a melhor e o drama também não era cativante o suficiente, parecia que estava numa espécie de limbo entre os dois géneros. No entanto, não sei explicar bem porquê, mas comecei a ficar intrigada e, sem dar conta, já estava no final do episódio.

A sinopse desta série é razão suficiente para se estar interessado em ver, mas a representação dos atores eleva a coisa a outro nível. Acho que foram todos excelentes, embora o brilho vá sempre para a personagem principal, Karla, que Anke interpreta de forma genial. Só neste primeiro episódio fomos capazes de ver a personagem nas suas múltiplas facetas – dor, luto, comédia, até um pouco de loucura – e a atriz é capaz de nos convencer que todas elas vivem na mesma pessoa.

Não me quero alongar muito mais com detalhes porque acredito que este episódio serviu como uma introdução a uma história que ainda vai dar muitas voltas, quando Karla começar realmente a sua carreira como oradora em funerais. Como disse, a comédia não é o ponto alto da série, mas há algo de intrigante na história e no desenrolar das relações entre os membros da família, que se unem para o luto. Estou curiosa para descobrir o “formato” da série: se os próximos episódios vão focar-se em diferentes funerais ou se haverá uma história maior a decorrer durante toda a temporada. De qualquer forma, recomendo para fãs de dramas leves, com alguma comédia à mistura.

Ana Oliveira