Classificação

7.5
Interpretação
7.5
Argumento
8
Realização
9
Banda Sonora

Confesso que a crítica a Camp Cretaceous, o primeiro episódio de Jurassic World: Camp Cretaceous, pode estar influenciada por uma razão muito simples: adoro Jurassic Park. O filme de 1993 continua no meu top de filmes favoritos e apesar de as sequelas não serem nada do outro mundo fico contente por cada viagem que possa fazer a este mundo extraordinário.

Esta série de animação conseguiu trazer todas as verdadeiras sensações do mundo de Jurassic Park, ou melhor agora Jurassic World. Este original Netflix decorre durante os eventos do filme Jurassic World, filme de 2015, e segue seis adolescentes que estão a visitar o parque e acabarão por ficar em risco. A receita é a do costume, mas não é por isso que falha. O arrepio que sinto sempre que ouço aquela música de John Williams que acaba por ser a theme song é inexplicável. Eu acho que um dos grandes trunfos para que a série corra bem é ter, nada mais nada menos, do que Steven Spielberg como produtor executivo, sendo que a série faz mesmo parte do franchise. O projeto junta Netflix, Universal Pictures, Amblin Entertainment e DreamWorks Animation. Não sei se é só a mim, mas o tipo de animação fez-me lembrar bastante o filme Spider-Man: Into the Spider-Verse.

Paul-Mikél William, o Charlie de Westworld, dá a voz à personagem principal Darius, um adolescente fanático por dinossauros. Depois temos Brooklynn, uma jovem famosa nas redes sociais que anda sempre com o telemóvel na mão, Kenji, um rapaz rico, Yaz, uma adolescente atlética, Sammy, uma rapariga humilde e, por fim, Ben que basicamente passou o primeiro episódio enjoado. Camp Cretaceous é o nome do episódio de arranque de Jurassic Word: Camp Cretaceous e apesar de se focar em apresentar as personagens também, e apesar da pouca duração do episódio (cerca de 25 minutos), já nos apresenta bons momentos de tensão que não serão estranhos aos fãs da série.

Terminado o primeiro episódio penso que para os fãs de animação e do mundo de Jurassic Park/World será uma boa proposta para maratona visto que a primeira temporada é composta por oito episódios.

Jurassic World: Camp Cretaceous não é a série perfeita devido à insistência das séries atuais em arranjarem sempre personagens estereotipadas. Porém, as vozes dos atores, a animação e a banda sonora tornam a experiência muito boa. Eu sei que vou continuar a ver enquanto espero pelo filme que está previsto estrear em 2021!

Espreitem o trailer e imagens da série, aqui.

Bruno Pereira