Classificação

8
Interpretação
9
Argumento
9
Realização
8.5
Banda Sonora

Atypical é a nova série de humor negro da Netflix que segue Sam Gardner (Keir Gilchrist), um jovem de 18 anos com autismo.

Sam vive com a mãe, Elsa (Jennifer Jason Leigh), uma antiga cabeleireira que deixou o emprego para se dedicar ao filho e que tem bastante dificuldade em aceitar que Sam se esteja a tornar independente; com o pai, Doug (Michael Rapaport), um paramédico que luta diariamente com a dificuldade em se relacionar com o filho; e a irmã mais nova, Casey (Bridgette Lundy-Paine), uma atleta promissora que tenta ao máximo proteger e manter uma relação normal com o irmão.

Na vida de Sam existe também Zahid (Nik Dodani), o seu melhor amigo e colega de trabalho, que o incentiva a ter uma relação e vida social, e ainda Julia (Amy Okuda), a terapeuta por quem Sam tem uma paixoneta e que o incentiva a ser independente e confiante.

No piloto, Sam decide procurar uma namorada de maneira a desenvolver as suas habilidades sociais para conseguir ter uma vida normal, mas esta busca é dificultada pela sua doença, pela sua mãe e pela sua obsessão pela Antártida e por pinguins.

Apesar de diversas críticas negativas à forma como aborda o autismo, Atypical é uma série envolvente que nos dá uma amostra sobre a vida dos adolescentes do espectro e a luta das suas famílias em tentar balançar a necessidade de os proteger e de os deixar viver os altos e baixos que a vida lhes apresenta de forma autónoma.

Leigh revelou-se uma desilusão, retratando de forma monótona e aborrecida a sua personagem, que tinha de tudo para ser uma das mais marcantes desta série. Já Rapaport tem os seus altos e baixos, acabando por sair vencedor nas cenas emocionantes que partilha com o filho.

Gilchrist, que já nos surpreendeu em filmes como It’s Kind of a Funny Story, adapta-se bastante bem ao seu papel, batalhando por criar uma personagem fiel à realidade e evitar estereótipos, tornando Sam único e adorável. Lundy-Paine é uma lufada de ar fresco, apresentando-nos uma Casey revoltada com a mãe, mas devota ao irmão e às necessidades do mesmo, tentando fazer com que este sinta um tratamento normal da sua parte enquanto o protege das maldades constantes da vida do secundário.

De forma geral, Atypical é uma fantástica aposta da Netflix que promete surpreender e destruir-nos o coração, sempre com uma pitada de humor, o que torna esta série de ver e chorar por mais.

Beatriz Pinto