Classificação

7
Interpretação
7
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

[Pode conter spoilers]

Boca a Boca é uma nova aposta brasileira da Netlix com uma 1.ª temporada de seis episódios, começando com este Te Peguei!. Os episódios têm pouco mais de 30 minutos e a série é uma criação de Esmir Filho, que realizou o fabuloso filme Os Famosos e os Duendes da Morte. Em poucas semanas é a segunda série oriunda do outro lado do oceano que sigo, depois de ter visto a mexicana Control Z.

A história central de Boca a Boca começa com um mistério quando Bel, interpretada por Luana Nastas, se sente mal numa manhã a seguir a uma festa. Durante o episódio vamos percebendo mais pormenores e detalhes sobre a festa e o porquê do – muito bem atribuído – nome da série. Há, principalmente, três personagens que podem ajudar a desvendar o mistério. Sem querer dar spoilers, mas como até está escrito na sinopse da série, é disto que se trata: um estranho vírus que se passa através do beijo. Pelo menos, é isso que neste momento pensamos; quem sabe no final da temporada exista outra explicação? Não sei mesmo o rumo porque ainda só vi o primeiro episódio, mas fiquei com vontade de ver mais, pelo mistério; por uma excelente cinematografia e por algumas representações, não todas, pois há claramente quem se destaque, como Iza Moreira no papel de Fran. É verdade que nesta altura de COVID-19 uma pessoa está farta de ouvir falar em vírus, mas há várias qualidades neste episódio, como a fotografia e a própria banda sonora, que nos transporta para onde é suposto nas cenas da festa.

A série é passada numa pequena localidade do interior do Brasil e isso é aproveitado também para tocar em outros temas que, apesar de tudo, ainda são polémicos, como a homossexualidade e, claro, o próprio consumo de drogas.  Pelo que se assume do primeiro episódio, o foco não será só o vírus, mas também as questões pessoais e as relações humanas. Neste ponto faz-me lembrar The Walking Dead, acerca da qual sempre foi afirmado pelos criadores que mais importante que a origem do vírus era como as pessoas se comportavam perante um.

Boca a Boca parece mais uma excelente série para uma maratona e sabendo que uma 2.ª temporada ainda não está confirmada, fico somente com o mesmo receio de sempre, que acabe num cliffhanger daqueles de nos fazer arrancar os cabelos.

Bruno Pereira