Classificação

8
Interpretação
7
Argumento
7
Realização
7.5
Banda Sonora

Trackers é uma das novas apostas da HBO Portugal. É uma adaptação do romance policial de 2011 de Deon Meyer, com o mesmo nome, e foi adaptado para a televisão por Robert Thorogood. Nasceu de uma coprodução entre o canal M-Net da África do Sul, da HBO, Cinemax e a emissora pública alemã ZDF. O elenco é composto por atores locais e internacionais, incluindo nomes como Ed Stoppard, Rolanda Marais, James Gracie e Thapelo Mokoena.

Esta série conta então a história de um grupo diversificado de pessoas cujas vidas acabarão por colidir neste thriller de ação que cobre toda a extensão da África do Sul. O clímax acontece na Cidade do Cabo, sendo uma conspiração violenta envolvendo crime organizado, diamantes contrabandeados, segurança do Estado, rinocerontes negros, a CIA, etc…

Antes de falar do primeiro episódio, gostava de deixar um reparo à intro da série e em como achei interessante a música e as obras de arte paradoxais utilizadas, especialmente os subúrbios versus as cenas urbanas… Contraste interessante.

Muitas histórias e pessoas têm, aparentemente, uma série de tópicos não relacionados no início deste episódio mas no decorrer destes 50 minutos todas estas vidas lentamente começam a juntar-se, no entanto não está totalmente claro no final do mesmo onde e quando esses tópicos serão reunidos. Será interessante continuar a assistir para descobrir.

Este primeiro episódio começou a um ritmo interessante, tendo dez minutos (mais coisa menos coisa) com vários calafrios e emoções, mas rapidamente se tornou num caldo morno com pouca coisa interessante a acontecer, tendo sido uns 20 minutos aborrecidos de ultrapassar. A coisa aquece mais perto do fim deste primórdio e acaba de uma maneira interessante e com algo que não estava a contar (foi um bom desfecho para um episódio com altos e baixos).

Somente o tempo dirá como as reviravoltas moldam a história à medida que o resto dos seus quatro episódios se desenrola. Com poucas episódios e com um enredo consideravelmente grande esperemos que não fiquem muitas coisas por contar e que a teia que estão aqui a criar não perca a sua entidade com isso. Será que pode vir a ser um enorme sucesso? Não estou a contar com isso mas com este episódio conseguiu, pelo menos a mim, despertar interesse para ver pelo menos o próximo.

Filipe Tavares