Classificação

5
Interpretação
2
Argumento
6
Realização
6
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Se The Hunger Games tivesse uma competição de talentos em vez de uma competição até à morte, esta seria a sua série. Utopia Falls é uma série distópica de ficção cientifica, produzida pela Hulu, que segue um grupo de adolescentes escolhidos para participar numa competição de canto e dança na prestigiada academia Exemplar. Aqui acabam por descobrir arquivos de músicas do passado, que os leva a questionar o seu mundo e as suas origens.

Este episódio piloto deu-me muitas vezes a sensação de déjà-vu, parecendo ser a cópia literal de várias séries e filmes de ficção cientifica. Principalmente The Hunger Games e Divergent, porque apresenta uma sociedade futurista, dividida por setores, que tem uma competição apenas para adolescentes com 16 anos. Só que desta vez… é uma competição musical? Cada pessoa tem de concorrer com o seu talento, dança ou canto, e são depois escolhidos os melhores para a academia Exemplar, onde prestarão homenagem ao fundador da cidade, a partir de uma performance. Eu adoro o conceito de sociedades futuristas e até mesmo do fator da competição, mas usar um concurso de talentos numa série que se leva tão a sério é uma ideia bastante estranha. Admiro a tentativa de tentar misturar géneros tão diferentes, mas não há um balanço suficiente para ser bom. A série tenta ser tipicamente de ficção cientifica, com os cenários, fotografia e mesmo os diálogos das personagens, e de repente vemos as personagens todas a dançar, como se fosse Glee. Não resulta. Se tivessem tentado um look mais leve, talvez tivesse resultado melhor, mas numa série tipicamente de sci-fi não é credível.

As personagens até têm algum potencial, apesar de caírem em estereótipos típicos de personagens adolescentes, mas as suas interações formam uma boa dinâmica. Estou a prever que futuramente haja uma revolução no sistema, porque é esse o plot de todas estas séries distópicas, e que este grupo de adolescentes se una para esse fim. As personagens a descobrir todos os géneros musicais que existiram no passado vai ser também uma boa storyline, imagino com alguns momentos bastante cómicos.

Apesar de alguns pontos positivos, não vou definitivamente continuar a ver a série. Tenho de admitir que eu não sou, de todo, o público-alvo e que, segundo alguns comentários que li, a série fica ligeiramente melhor no resto da temporada. Mesmo assim, a fórmula da mistura de géneros não me convenceu e acho que nenhum dos restantes pontos – das personagens à escrita – é suficientemente forte para me fazer ver o resto da temporada.

Ana Oliveira