Classificação

6
Interpretação
5
Argumento
5
Realização
4
Banda Sonora

Segue os altos e baixos da vida de cinco jovens enfermeiros que tentam lidar com as dificuldades da sua carreira e com as complexidades das suas vidas pessoais. 

Comecemos pelo óbvio: Nurses não é nada de novo. O que poderá ser menos óbvio e até ligeiramente surpreendente é que isso não é necessariamente uma coisa má. Por uma qualquer razão misteriosa que ultrapassa até os mais atentos entre nós, este tipo de dramas na área da medicina têm uma espécie de gravidade muito particular que eventualmente nos apanha a todos. É absoluto e inevitável e não há nada de errado com isso. Especialmente perante uma série como Nurses que, apesar de não surpreender em nenhum aspeto em particular, é precisamente aquilo que esperamos que seja e, assim, não desilude. 

Aliás, aquilo que se pode apontar como ponto forte da série é precisamente a sua consistência. Nurses é exatamente aquilo que pretende ser. Todas as componentes, da premissa, aos atores, à própria banda sonora, funcionam na medida certa sem brilharem particularmente, mas também sem se sobreporem umas às outras. O resultado? Uma série gira e interessante, com um ritmo muito bom, mas que esquecemos assim que acaba o episódio. A série perfeita para nos entreter naqueles dias em que o necessário é descomprimir sem pensar em nada. 

Parafraseando, a enfermeira responsável diz, no seu discurso de acolhimento, “this is not a rockstar [review]. You are not rockstars”. Nurses nunca atingirá o sucesso ou a longevidade de uma Anatomia de Grey. Mas muito como entre médicos e enfermeiros, e para quem se lembra dos primórdios de Anatomia de Grey, são mais as parecenças que as diferenças. A voice-off vagamente inspirational, a protagonista com um talento especial tanto no trabalho como para arruinar a sua vida pessoal, e um grupo de jovens esperançosos que apesar de muito diferentes, funcionam melhor em grupo. 

Em resumo, Nurses tem tudo no sítio certo e poderá eventualmente, contra todas as expectativas, vir a surpreender. No entanto, para já apenas duas coisas são certas: é um verdadeiro medical drama, e não desilude. 

Raquel David