Classificação

Hard Sun é a nova aposta da BBC One, quando as séries pós-apocalipticas começam a vingar. Esta série traz-nos a premissa de duas pessoas completamente diferentes – Charlie Hicks e Elaine Renko – que por força do universo acabam por se juntar para combater o crime num mundo que está a chegar ao fim.

8.6
Interpretação
8.3
Argumento
8.9
Realização
10
Banda Sonora

CONTÉM SPOILERS!

Hard Sun é a nova aposta da BBC One, quando as séries pós-apocalípticas começam a vingar. Depois do sucesso de The 100 ou The Gifted, parece que finalmente o mundo está preparado para uma série diferente (ou para o fim do mundo…)!

Esta série traz-nos a premissa de duas pessoas completamente diferentes – Charlie Hicks e Elaine Renko – que, por força do universo, acabam por se juntar para combater o crime num mundo que está a chegar ao fim.

O primeiro episódio introduz-nos um bocadinho sobre estas duas personagens que nos irão acompanhar: Charlie Hicks (Jim Sturgess) é o verdadeiro homem de família, com um bom emprego e uma boa vida – até percebermos que vive uma vida dupla. Tem uma amante e nem sempre toma as decisões mais eticamente corretas, mas de acordo com a personagem, é tudo em prol de atingir o resultado que quer.  Elaine Renko (Agyness Deyn) é uma mulher cheia de garra que regressa ao trabalho uma temporada depois de ter sido espancada, esfaqueada  pelo próprio filho, que inclusive a tentou queimar viva na sequência de um episódio de loucura.

Elaine é a pessoa mais eticamente correta de sempre – sendo um bocadinho o yin para o yang de Hicks – e regressa ao trabalho como parceira de Hicks após a morte do seu antigo parceiro e melhor amigo. Melhor amigo este que era o marido da amante de Hicks. O regresso de Elaine à carreira policial traz água no bico: ela será parceira de Hicks, mas a sua verdadeira missão é resolver o assassinato do antigo parceiro dele.

Não existe grande aventura ou thrill, se assim lhe quiserem chamar, neste primeiro episódio. Não me interpretem mal – eu acho que a série tem bastante potencial, mas em vez de nos apresentarem uma entrada e um prato principal, deram-nos só o pão e as azeitonas.

O primeiro caso de Elaine e Hicks é desvendar um assassinado que mais parecia um suicídio que mais parece trazer água no bico. Quando no início do episódio vimos a vítima a cair de um prédio enorme e morrer espetado numa árvore caduca (tive que delinear este momento, foi genialmente bem gravado e bem construído), também vimos um rapaz sair lançado desse prédio e retirar da mão do cadáver uma USB Flash Drive.

Enquanto tentam resolver o caso, vamos conhecendo um bocadinho mais sobre eles os dois: Elaine é vista no seu quarto alugado a olhar para um quadro enorme de estudo da morte do parceiro de Hicks e a chegar à hipótese de que Hicks talvez tenha sido o assassino do seu antigo parceiro. Em seguida visita o seu filho no manicómio – óbvio que lá estaria, o coitado não está nada bem – enquanto vemos Hicks a aproveitar este momento para ir ao quarto de Elaine investigar e tentar descobrir algo sobre ela.

O pormenor de Hicks abrir o cofre e encontrar uma mensagem a dizer ‘Hello and F*ck You’ é genial. Mostra-nos que Elaine Renko não só é uma mulher altamente correta, também é incrivelmente inteligente e a interação dela com o seu filho no manicómio deixa-nos com a sede de criar empatia com ela.

Ora, poupando-vos a uma descrição detalhada de como as nossas personagens chegam naturalmente à conclusão de que aquela Flash Drive é muito preciosa e que foi o que levou à morte da vítima que estavam a investigar, Hicks e Renko deparam-se com aquilo nas suas mãos e decidem ver o que lá está dentro. Ideia de Hicks, claro. E já a aproximar-se o final do episódio percebemos o que se passa: Hicks e Renko descobrem que a Terra tem cinco anos de vida. Depois disso, é o fim. E entretanto, no meio desta incrível descoberta – a dupla apercebe-se que está a ser altamente perseguida pelos donos daquela USB Flash Drive.

Devo admitir que a cena em que Hicks e Renko estão cercados de umas 15 pessoas aleatórias numa rua e Hicks tem a reação imediata de começar a disparar alarmes de carros é uma cena espetacular protagonizada por Jim Sturgess! Hicks vê entretanto a sua família a ser ameaçada se não entregar a USB Flash Drive depressa e não se render à força corporativa.

Lembram-se de vos ter dito que Elaine era o yin para o yang de Hicks? Elaine não deixa e quer levar a luta adiante e deixa isso bem claro com Hicks, que depois de uma cena de pancadaria entre os dois acaba por ceder e decide que Renko tem razão. E assim nasce Hard Sun.

Para vos dar um resumo final: gosto imenso da premissa da série. Acho que pode vir a ter ramificações muito interessantes. Se calhar a custo de um maior engagement no primeiro episódio, os criadores decidiram dar-nos as variáveis da série. E se o episódio custa um bocadinho a entrar nos eixos, vou admitir que tenho demasiada fé na série e que acredito que consiga desenvolver-se para algo mais envolvente.

Hard Sun mantém um grafismo muito azul e cinza, mesmo para criar o efeito de fim do mundo que se está a desencadear e acaba por dar à série uma frieza que possa ser um risco para manter uma base de espectadores maior do que apenas um nicho de fanáticos do estilo pós apocalíptico; mas tenho alguma fé que a relação entre estas duas personagens e o mistério criado em torno da ideia de que a terra vai acabar seja suficiente para manter o bichinho vivo!

Não posso, antes de terminar, deixar passar em branco o encaixe genial da música de David Bowie, ‘Five Years‘, quando eles descobrem que a terra só tem cinco anos de vida. Foi só a ideia mais brilhante e mais bem conseguida!

Bom, e agora? Agora vamos ver o próximo episódio!

Joana Henriques Pereira