Classificação

5.9
Interpretação
5.8
Argumento
5.6
Realização
5.8
Banda Sonora

Com um elenco aparentemente desconhecido, um setting já muito revisitado, é inevitável lembrarmo-nos do início de Lost, há 12 anos atrás. Começamos então com um avião em queda, onde vamos conhecendo algumas das personagens que compõem este Wrecked e que nos tentarão arrancar algumas gargalhadas durante as próximas semanas. Instalado o cenário de catástrofe, está montando um palco invulgar para a comédia e, daqui para a frente, qualquer semelhança com Lost é pura coincidência.

Temos uma tripulação da mais variada possível, onde podemos encontrar três figuras centrais que rapidamente constroem uma conexão com base no pânico que partilham: Danny, que só queria ser polícia e tem oportunidade de o ser agora que cada um poderá ser o que bem entender nesta nova aventura; Owen, um hospedeiro de bordo que não suporta aturar passageiros; e Pack, um agente desportivo que terá de se habituar a uma realidade sem o seu iphone. Temos também uma estudante de medicina, Emma, que vinha de viagem com a sua amiga Florence e que faz sempre falta numa situação destas. Temos uma aventureira com espírito de caçadora, Karen, que parece que será a salvação do grupo, temos um casal composto pela simpática Jess e o chato do namorado, Todd, e temos ainda Steve, o bêbedo de serviço… E tínhamos um salvador e líder nato até ter sido literalmente esborrachado pela frente do avião. A esperança do grupo em ser encontrado residia em acharem o comunicador do avião, mas foram descobri-lo totalmente destruído e não têm alternativa senão fazer pela vida.

O humor não é muito evoluído, chega até a ser básico demais, por vezes, mas confesso que me despertou alguma curiosidade e ainda soltei algumas gargalhadas, especialmente com Steve e o seu excesso de álcool. Por falar em álcool, o episódio termina com uma festa contra a adversidade, já que é encontrado o carrinho das bebidas e a tripulação dá conta dele num instante, nascendo o sol num ambiente de pura ressaca que abre as hostilidades para o que aí virá…

André Borrego