Classificação

7
Interpretação
5.5
Argumento
7
Realização
5
Banda Sonora

Uncle Buck não é uma história nova, já que se inspira no filme de 1989 com o mesmo nome. No entanto, desta vez temos uma família afro-americana. Esta comédia está longe de ter um conceito original, mas a verdade é que até não funciona mal de todo.

O protagonista é Buck, um tipo pouco responsável mais preocupado em divertir-se do que em arranjar emprego. Do outro lado temos o seu irmão, Will, um tipo bem sucedido, casado e com três filhos. Quando Will e a mulher têm ambos de viajar em situação de trabalho, ficam sem alternativa para deixar os filhos, depois dos dois mais novos terem ‘aterrorizado’ a senhora que tomava conta deles. É aqui que Buck entra em ação para tomar conta dos sobrinhos que mal conhece. Ao início, os miúdos rejeitam-no, mas acontece uma série de peripécias que os leva a concluir que o tio até não é mau de todo. Ele próprio é quase uma criança, mas ao menos é divertido e as coisas não correm assim tão mal.

O episódio não é propriamente muito divertido, mas conseguiu o suficiente para me arrancar alguns sorrisos. Maizy e Miles são miúdos engraçados e carismáticos e a sua relação com Buck torna-se agradável de ver. A série ganha pontos por não ter caído na asneira de nos trazer cenas demasiado exageradas ao nível da palermice, como tantas vezes acontece, com a intenção de fazer rir o espectador. Acaba de forma previsível, como é comum neste tipo de séries, mas para quem quiser entreter-se com uma série levezinha, Uncle Buck pode ser uma opção a ter em conta.

Um bom piloto de comédia é difícil de concretizar, mas este não falhou redondamente como acontece com tantos outros e a série poderá mostrar-se capaz de melhorar.

Diana Sampaio