Classificação

6
Interpretação
4
Argumento
4.5
Realização
5
Banda Sonora

Uma cadeia televisiva que lança séries à sexta-feira à noite não tem grandes esperanças no seu sucesso. E tinha razões para isso. Já passaram sitcoms tão maravilhosas pela televisão que hoje em dia é quase impossível manter uma comédia no ar. Unbreakable Kimmy Schmidt é um caso raro de sucesso, escrito pela para lá de fabulosa Tina Fey. Black-ish também conquistou o público americano, mas estas duas foram as únicas a realizar tal feito nos últimos anos (nesta afirmação não estou a incluir, obviamente, The Big Bang Theory, 2 Broke Girls ou Modern Family, que já estão no ar há muito mais tempo).

Truth be Told falhou redondamente e não foi preciso ver muito para saber que, ou vai ser cancelada rapidamente, ou se, por algum milagre for renovada, será daquelas séries que uma pessoa só verá por falta de melhor.

A história é simples (como em todas as séries do género). Mitch e Russell são dois melhores amigos e ambos são casados. A aventura do dia constituía em Mitch e a mulher Tracy arranjarem uma baby-sitter para a filha de modo a irem a um concerto do Jay-Z com Russell e Angie (recém-casados), que andaram de cadeias às avessas devido ao ex-namorado dela. Isto tanto podia ser um episódio piloto como um qualquer da temporada.

Foi banalíssimo, apesar de o elenco funcionar bem e ter boa química. Bom casting, mas com a quantidade de atores desertinhos para vingar em Hollywood, não é assim um feito tão grande. Mas como o resto é mau, isto tem de ser um ponto positivo. Tocaram em pontos sensíveis como o racismo, mas há séries bem melhores que fazem o mesmo.

Porque é que as televisões insistem em séries destas? História fraca e banal, humor fraquíssimo e piadas tão batidas que quase que ouvimos outros personagens de outras séries a dizerem-nas. Não há nada de novo! Dois casais jovens e bem sucedidos a viverem nos subúrbios (nem apanhei o sítio onde viviam). Foi provavelmente o pior piloto que vi nos últimos tempos. E com tanta oferta boa que anda aí, duvido que alguém se interesse por ela. Ou então dá uma volta de 180º. Não sei. Não estarei lá para assistir.

Maria Sofia Santos