Legacies – 04×16 – I Wouldn’t Be Standing Here If It Weren’t For You
| 10 Jun, 2022
5.15

Uma vez anunciado o inevitável cancelamento de Legacies e, assim, o final deste famoso universo começado por The Vampire Diaries, reunimo-nos agora para falar um pouco sobre I Wouldn’t Be Standing Here If It Weren’t For You, o 16.º episódio desta última temporada.

Neste novo capítulo, Hope continua a sua luta interna enquanto Lizzie elabora um plano que a poderá ajudar a ultrapassar os seus obstáculos. Entretanto, Cleo teme as suas visões e o que estas poderão significar para aqueles que ama. Já Alaric envia Kaleb, Ethan e MG numa missão de alto risco, enquanto Jed tem uma escolha difícil pela frente. Por fim, Landon faz uma descoberta surpreendente.

Se bem te recordas do anterior episódio de Legacies, Ben tomou a iniciativa de aproveitar o perigoso plano de Aurora e Lizzie para seu próprio benefício, tendo raptado os deuses com o intuito de os libertar da sua prisão e, assim, receber uma dádiva em troca – neste caso, a sua própria emancipação. Assim, Ken, o seu pai, encontra-se agora à solta, colocando novamente a pitoresca cidade de Mystic Falls em xeque na sua busca por Jen, a filha que o traiu. 

Esta nova ameaça, aliada às aterradoras premonições de Cleo, coloca pressão sobre Hope para regressar ao seu estado normal, algo aparentemente impossível tendo em conta a presença negativa que continua a assombrar a protagonista. Na sua busca por perdão, é Lizzie quem acaba por ajudar a tríbrida a livrar-se desta sua faceta sem humanidade, proporcionando a Hope o insight necessário para abrir mão do seu mecanismo de defesa.

Confesso que os momentos entre Lizzie e Hope neste I Wouldn’t Be Standing Here If It Weren’t For You foram, para mim, o verdadeiro highlight do episódio. Ainda que tenha os meus problemas com a forma como Legacies abordou certos tópicos – falarei sobre os mesmos em seguida –, há muito que a dinâmica entre as personagens surge como um dos meus aspetos favoritos da série, seguindo este episódio essa mesma tendência. Pela primeira vez em bastante tempo, recordei os momentos áureos da 1.ª e 2.ª temporadas e a importância que a found family carregava ao ver Lizzie aconselhar Hope sobre a melhor forma de lidar com o seu trauma.

No entanto, é exatamente aqui que Legacies volta a falhar. Se, por um lado, Lizzie está correta ao afirmar que Hope se agarra à sua falta de humanidade como um mecanismo de defesa (algo que, aliás, havia sido mencionado por Josie no passado, tendo a personagem referido que Hope tem receio de lidar com as suas emoções, fruto dos vários traumas pelos quais passou); por outro, os aspetos negativos da tríbrida deveriam ser tidos como parte da personagem e aceites como tal, ao invés de serem colocados numa caixinha e neutralizados por completo, como veio a acontecer.

Também a justificação de Hope acaba por não ter o impacto devido, graças à irritante tendência que a 3.ª temporada da série teve em alienar a personagem dos seus companheiros. Na verdade, a jovem Mikaelson agarra-se a este seu lado desprovido de qualquer humanidade porque, dada a ativação do seu lado de vampira e o facto de ser agora imortal, não consegue lidar com a probabilidade de um dia vir a perder todos os seus amigos – algo que teria certamente uma melhor receção por parte da audiência se a série não a tivesse mostrado disposta a sacrificar todos à sua volta de modo a poder salvar Landon há não muito tempo.

De qualquer forma, o plano de Lizzie é um sucesso, permitindo a Hope a paz de espírito necessária para se concentrar na missão a cabo: derrotar Ken. Apesar da lição de The Only Way Out Is Through, a protagonista resolve que esta é uma batalha que será enfrentada apenas por ela e Lizzie – plano que, como seria de esperar, produz resultados catastróficos. Ainda que Hope tenha sido comercializada como sendo a personagem mais poderosa à face da terra em The Originals, a tríbrida não é competição para um deus, sendo vencida de forma pouco cerimoniosa e sem oportunidade de ripostar.

Admito: fiquei desiludida. Depois de anos (reforço: anos) a ouvir mundos e fundos sobre o imenso poder de Hope Mikaelson, esperava que Legacies proporcionasse à personagem pelo menos uma possibilidade de mostrar aquilo de que é capaz. No entanto, por razões que sinceramente não percebo e sobre as quais prefiro não especular, a série não permitiu à sua protagonista tal graça. Infelizmente, teremos de aceitar que Hope, enquanto personagem, nunca chegará a alcançar o seu verdadeiro potencial, tendo sido verdadeiramente desaproveitada pela série.

A batalha entre o duo e Ken culmina com o empalamento de Lizzie no portão de entrada da Salvatore School e também com Hope num novo coma. Por alguma razão, este seu estado leva a protagonista até ao limbo, onde Landon se encontra, resultando no inevitável reencontro dos personagens no final do episódio.

Esta não é a única aparição do personagem no episódio – de facto, a storyline do limbo ocupa uma porção considerável deste I Wouldn’t Be Standing Here If It Weren’t For You. Após a sua captura, Landon descobre que o ser por detrás do roubo de moedas no limbo é ninguém mais que Seylah, a sua mãe. Esta aparição proporciona a Landon a oportunidade de alcançar algum tipo de closure com a personagem, que procura alcançar a paz. Neste sentido, Landon reforça que não só não sente qualquer tipo de ressentimento para com a sua mãe, como também se encontra bem, apesar das circunstâncias. Este conhecimento permite a Seylah merecer a sua própria moeda, a qual oferece ao barqueiro para atravessar para o outro lado.

Não tive grandes problemas com esta storyline, à parte de um pequeno detalhe. Acho hilariante que Legacies confira a Landon este cargo enquanto pessoa que ajuda os restantes a alcançar a paz quando, em episódios anteriores, demonstrou que o personagem nem sempre tem o tacto necessário para lidar com este tipo de situações. De forma imediata, relembro o facto de ter pressionado MG a visitar a sua família na 1.ª temporada, o que produziu resultados bastante negativos, ou insistir que Rafael conhecesse os seus pais em This Christmas Was Surprisingly Violent. Tudo isto para não mencionar o fiasco que foi Salvatore: The Musical!… 

Por fim, tenho ainda a referir que Ethan parece estar a perder os seus poderes enquanto Cleo procura descobrir como funcionam os seus, algo que me desperta algum interesse. Já a briga entre Jed e Ben não foi má de todo, mas perde algum dramatismo pela falta de investimento da minha parte.

De um modo geral, acredito que este foi um episódio bastante fraco para a série, que continua a justificar o porquê do seu cancelamento. Tenho pena de ver o quão removida Legacies está do seu universo, em especial quando tinha tudo a seu favor para dar certo.

Podes acompanhar Legacies através da HBO Max, que disponibiliza todos os seus episódios para streaming

5.15
6.5
Interpretação
4
Argumento
5
Realização
5
Banda Sonora

Publicidade

Populares

ramy

calendário estreias

the resident poster

Recomendamos