Classificação

7
Interpretação
4.5
Argumento
6
Realização
7
Banda Sonora

[Contém spoilers.]

Após um breve hiato, Landon Kirby’s Legacies – quero dizer, Legacies – regressa agora com To Whom It May Concern, um episódio que fica aquém das minhas (já baixas) expectativas, mas que nem por isso chega a conseguir exterminar a esperança cautelosa que sinto em relação ao que ainda está por vir nesta nova temporada.

Neste episódio, após um inesperado êxodo em massa por parte do corpo estudantil, Alaric e o Super Squad tentam desesperadamente recrutar novos alunos de modo a conseguir manter as portas da Salvatore School abertas. Hope concorda em ajudar Lizzie a receber estes possíveis novos alunos, enquanto Josie tenta apreciar o seu primeiro dia em Mystic Falls High. Entretanto, MG começa o seu semestre do “não,” e Landon procura escapar à prisão em que se encontra.

Longe de ser o meu episódio favorito de Legacies, To Whom It May Concern é para mim o que um dardo tranquilizante é para um elefante: um cocktail de cenas que pouco mais fazem do que pôr-me a dormir. É a melhor forma que encontro para descrever este episódio que, apesar de conter algumas instâncias de carácter mais cómico que, sim, me fizeram rir, nada faz para alterar a penosa cadência desta 3.ª temporada da série.

Os perigosos acontecimentos dos últimos anos (ou meses, nunca consegui perceber bem em que linha temporal Legacies opera) e, em especial, a guerra semi-apocalíptica que ocorreu principalmente fora de cena em Hold On Tight levam os guardiões dos vários alunos da Salvatore School a tomar a decisão sensata de retirar os seus educandos desta instituição. Isto coloca Alaric numa situação complicada, uma vez que a escola será forçada a fechar portas caso não consiga um número mínimo de 30 alunos – uma maneira estranha, mas algo inteligente e credível, de manter a produção dentro dos limites estabelecidos pela pandemia, acredito.

De qualquer forma, o acontecimento leva a que os restantes alunos – Hope, Lizzie, Kaleb, MG, Jed e Wade – sejam mais ou menos forçados a entreter o pequeno grupo de indivíduos que visita agora a escola. Esta tarefa mostra-se mais difícil do que qualquer um pensava, uma vez que a Salvatore School, tal como a própria série, deixou há muito de ser o lugar mágico e divertido a que fomos apresentados no episódio piloto de Legacies. Agora, desprovida de alunos, o edifício parece não ter vida, relembrando um pouco uma das realidades alternativas visitadas por Lizzie em There’s a World Where Your Dreams Came True, na 1.ª temporada.

Metade da ação deste episódio, no entanto, é ocupada por Landon e outro personagem que há muito alargou a sua estadia para além do aceitável – o Necromancer, é claro. Por alguma razão, Landon encontra-se preso numa dimensão criada por Malivore especialmente para Ted: uma pequena gelataria, que aparece como referência ao episódio I Couldn’t Have Done This Without You. De modo a poder escapar ao seu inferno pessoal, o Necromancer tem de fazer algo que nunca faria, o que leva a que sejamos presenteados com a sua rendição da música “If You’re Happy and You Know It”. The Vampire Diaries e The Originals devem andar às voltas no túmulo.

De qualquer forma, Landon aproveita a oportunidade para escapar, vendo-se agora preso num novo mundo-prisão. O personagem escreve uma carta “a quem possa interessar,” na esperança que alguém o encontre. Tenho alguma curiosidade em ver quem se irá deparar com o pedaço de papel. Será que, de uma ou outra forma, encontrará um caminho de volta à dimensão que as nossas personagens principais ocupam, ou será achado por outra pessoa ou até mesmo criatura? Prefiro focar-me nessa questão do que na profunda falta de respeito que senti ao ver Landon usar o colar da família Mikaelson, por isso acho que o melhor é seguir em frente.

Por falar em seguir em frente, Hope parece ter cessado a sua busca por Landon, o que me agrada imenso. No entanto, nem mesmo a sessão de orientação dos potenciais novos alunos se mostra capaz de proporcionar uma boa distração à tríbrida que, de forma justificada, recorda os seus momentos com Landon pelos espaços da Salvatore School à medida que a apresenta aos novos personagens. De forma semelhante ao ocorrido em Let’s Just Finish the Dance, as emoções sentidas por Hope começam a afetar a sua magia, sendo que a protagonista acaba mesmo por “explodir” neste episódio, deixando vários outros personagens inconscientes. Uma excelente primeira impressão, é claro.

De entre os novos alunos, é Cleo (Omono Okojie) quem se destaca, sendo de longe a melhor personagem de entre os três alunos a quem foi dada mais atenção, neste episódio. Aparece como uma influência positiva para Hope, ajudando a protagonista a dar os primeiros passos necessários para aprender a lidar com as várias perdas que tem sentido ao longo da sua curta vida (ainda que, pessoalmente, gostasse de ver Hope a procurar este tipo de apoio nas personagens que já conhecemos). Trata-se, certamente, de uma personagem com potencial para permanecer na série, ainda que me custe um pouco aderir já a esta ideia, uma vez que Legacies é famosa por se ver livre de personagens de quem gosto (como é o caso de Penelope, Jade, Maya ou Kym).

Já que mencionei Penelope, serei a única pessoa que está a ficar um pouco saturada pelas menções feitas à personagem? Durante a 2.ª temporada, agradou-me o facto de Legacies parecer não esquecer Penelope porque sentia que estes pequenos call backs à personagem iriam culminar no seu eventual regresso. Mas, com o passar do tempo, tenho vindo a aceitar que a personagem não voltará à série, pelo que preferia que estas referências baratas, geralmente feitas para irritar Lizzie ou Josie, terminassem de uma vez por todas.

Falando agora sobre Josie, torna-se claro que a bruxa sente alguma dificuldade e, acima de tudo, culpa em deixar a sua irmã para trás enquanto procura uma nova vida, capaz de lhe proporcionar a felicidade e paz de espírito que não sentia na Salvatore School. Felizmente, Ethan encontra-se numa situação semelhante após resolver ficar para trás quando Mac e Maya deixaram Mystic Falls, mostrando ser um bom amigo para Josie. Entretanto, Finch continua a ser uma personagem que me diz pouco, em especial após a série lhe proporcionar a backstory mais típica de sempre. Pelo menos Dorian está de volta como Diretor desta escola, pelo que o voltaremos a ver com mais frequência no futuro.

Por fim, adoro ver MG a bater o pé e a defender os seus interesses. Gosto até que o personagem tenha feito frente a Lizzie, apesar de não conseguir deixar de sentir pena pela personagem. MG tem razão: Lizzie tem de começar a lidar com os seus problemas e tomar um papel de liderança no que diz respeito à sua própria felicidade, em vez de procurar apoio e distração noutras pessoas quando algo não corre conforme o planeado. Mais uma vez, gostaria imenso de ver os personagens juntos, mas fico satisfeita em saber que, aos poucos, resolvem os problemas individuais que iriam assombrar uma possível relação.

Como nota de rodapé, aparece, neste episódio, um vampiro pelo nome de Gunter (Alec Tincher) que procura vingar a sua família, assassinada por Alaric (que, relembro, era um caçador de vampiros em The Vampire Diaries). Alaric lida com a situação quase de imediato, aparecendo como pouco mais do que uma inconveniência no episódio, pelo que me questiono qual a mensagem que Legacies pretendia passar com o sucedido. Será que o passado de Alaric o irá apanhar, ou irá o acontecimento levar o ex-caçador de vampiros e atual headmaster da Salvatore School a repensar a sua posição na instituição?

To Whom It May Concern encontra-se já disponível para visualização na plataforma de streaming HBO Portugal, que disponibiliza um novo episódio de Legacies todas as sextas-feiras.

Inês Salvado