Classificação

8.8
Interpretação
8.5
Argumento
8.6
Realização
8.6
Banda Sonora

[Contém spoilers!]

Afinal este oitavo episódio não marcou a mid-season finale da 6.ª temporada como aconteceu com a temporada passada e, portanto, estou um bocadinho menos desiludida com I Want To Be Free. Apesar de achar que elevou parcialmente em qualidade e interesse, continua a não ser um episódio digno da última temporada de How To Get Away With Murder. 

O reaparecimento da Governadora serviu para aumentar minimamente o suspense do plot, contudo, houve outras coisas que continuaram a puxar esta narrativa para baixo, como, por exemplo, a insistência de Nate em acusar a Governadora do assassinato do seu pai, colocando em causa o segredo de que foi ele e Bonnie quem mataram Miller. I mean, talvez se fosse eu no seu lugar, tendo cometido já tanta espécie de crime, provavelmente aceitaria os 10 milhões e continuava a minha vida. Se dúvidas havia que Nate é uma personagem dispensável esta temporada está a dissipá-las a todas.

Confesso que houve algumas partes do episódio em que me perdi. Começaram a mencionar demasiados nomes aos quais não consegui associar imediatamente uma cara, mas no fim lá consegui perceber tudo (creio eu). Sem dúvida que um dos momentos em que esta série brilha mais é no cenário do tribunal. É aqui que os nervos, o receio, a expectativa mais vêm ao de cima e somos deixados num limbo de insegurança. Será que quem está a depor vai dizer a coisa errada? Será que os advogados não vão conseguir extrair o que é necessário? Será que o juiz ou juíza vão ficar do lado errado? Tenho pena que ultimamente estas cena não tenham estado presentes.

plot começa finalmente a dar a volta, ainda que lentamente, e as inúmeras linhas da teia de histórias que rodeiam Annalise e companhia emaranham-se cada vez mais. Estamos num daqueles momentos em que todas e nenhuma teoria fazem sentido, em que tudo é possível e em que desconfiamos das intenções de todas as personagens. Cheguei ao ponto de duvidar de Frank. Será que ele não poderá ser um informante do FBI? Afinal, porquê ter tanto destaque nestes episódios? Então e o novo namorado de Annalise? Também é um bom candidato a traidor. At this point, todos são potenciais denunciantes.

No meio disto tudo, só continuo a ter pena de Bonnie. Sorte e felicidade são coisas que nunca conheceu na vida. Continuo a achar que com tanto romance entre ela e Frank algo de mau a um deles irá acontecer. E achei super inteligente, mas ao mesmo tempo bastante óbvio o paralelismo que fizeram entre o caso hipotético da aula de Annalise e o que aconteceu com o assassinato de Sam. Quem será ela no fim? A Branca de Neve ou a Rainha? Ou ambas? Será que ela consegue realmente fingir a sua morte, fugir e ser feliz? Ou será que querem que acreditemos nisso, mas na verdade ela morre?

Em suma, aquilo que conhecemos de HTGAWM está finalmente a voltar aos poucos. O facto de esta não ser a mid-season finale deixa-me feliz, porque por norma esse é um episódio de arromba que nos deixa em aflição até fevereiro, quando a série regressa da pausa de inverno. Espero que isso se volte a verificar e que nos possamos despedir da série numa nota positiva.

Beatriz Caetano