Classificação

8.4
Interpretação
8.2
Argumento
8.2
Realização
8.4
Banda Sonora

Pode conter spoilers!

How To Get Away With Murder encerra o primeira terço da última temporada com um episódio forte, cheio de voltas e reviravoltas, mas não ainda ao nível a que a série nos tem habituado. Lembro-me que na temporada passada, por esta altura, o plot estava muito mais interessante e as teorias que me iam pela cabeça eram incontáveis. Acho que grande parte dessa qualidade se deveu aos flashforwards, que adicionaram a dose certa de curiosidade e antecipação. Agora, a sensação que tenho é que a história se está a enrolar para conseguirem terem conteúdo suficiente para os 15 episódios e nem os flashforwards, que só aparecem de vez em quando, são suficientes para me deixar em pulgas sobre o futuro das personagens.

Posto isto, We’re All Gonna Die foi forte no sentido em que o desenrolar da descoberta do que aconteceu a Frank (que já todos sabíamos ter sido Xavier o culpado) e, por consequência, o desvendar ligeiro da cena inicial do episódio passado quando Annalise faz a transferência de todo aquele dinheiro foram interessantes e relevantes para o que está atualmente a acontecer.

Devo dizer que de resto não foi nada de especial. Finalmente ficamos a conhecer a famosa Cora (alguns podem recordar-se da atriz das primeiras temporadas de Fear the Walking Dead – era Ofelia, a filha de Daniel) e não fiquei com reticências nenhumas em relação a ela. Seria esse o objetivo para nos surpreenderem mais tarde com o seu envolvimento no “desaparecimento” de Laurel? Se não for, não percebo de todo o porquê de a terem incluído. Foi para nos fazer duvidar de Tegan? De que não tem nada a ver com a investigação do FBI ou com os Castillo porque tem sentimentos? Veremos, mas espero que haja aqui mais do que revelaram até agora.

Depois temos a história de Michaela com o seu pai. Também não achei que fosse de todo a cena mais relevante, mas creio que Solomon terá mais aparições até ao fim da temporada. Será ele o bilhete de ida de Annalise para nunca mais voltar às loucuras de Filadélfia? Até ao momento parece-me que Annalise, no fim, vai fingir a sua morte e fugir para bem longe. Talvez esta nova personagem a ajude nesse plano. Já Michaela continua a mesma jovem mulher em guerra consigo mesma, sem saber bem como deve agir em situações do foro pessoal e sentimental. Voltou a perceber que a única pessoa que a entende a 100% é Asher (odiei a evolução que deram a estes dois, mas devo dizer que acho que ficam muito bem juntos).

Por falar em Asher, o que será que o envolvimento repentino da sua irmã e o regresso da sua mãe querem dizer? Coisa boa não me parece que seja. Só espero que não lhe aconteça nada. E houve ainda tempo para conflitos matrimoniais com Connor a ficar chateado com Oliver por lhe ter ocultado o que Frank lhe disse. E esta história do ménage? Para continuarem a insistir com esta pessoa é porque tem mais importância do que aparenta. Talvez seja um infiltrado do FBI.

E, por fim, o que realmente interessou neste episódio. Xavier parece ter descoberto que Annalise está envolvida de alguma forma no desaparecimento de Laurel e Christopher. Será? E porquê? Parece-me demasiado óbvio, não? Especialmente quando Xavier revela essa informação a Frank que a partilha com Bonnie e a própria AK. A ver vamos, mas não creio que Annalise esteja envolvida no drama dos Castillo. Então e Frank e Bonnie?! (*insert heart eyes emoji*) Bem que estava a adivinhar esta relação na temporada passada. Mas também me cheira que com tanto romance um deles vai morrer. Afinal de contas nenhum conseguiu ter sorte ao amor. Espero estar errada, mas gostava muito de os ver juntos no final.

Beatriz Caetano

P.S.: E Gabriel? Porque está ele ainda na série? A sua presença já não é de todo importante nem faz sequer sentido. A sua mãe nunca mais foi mencionada e se voltar a aparecer duvido que tenha relevância. Espero que seja este tipo de pontas que não fiquem soltas no final da série.