Classificação

9
Interpretação
8.7
Argumento
8.7
Realização
8.8
Banda Sonora

Mais um episódio de How To Get Away With Murder e mais mil perguntas às quais não temos resposta. O fim aproxima-se a passos largos e com ele um enredo cada vez mais complexo que parece não dar tempo para solucionar tudo o que está neste momento a acontecer, mais todas as pontas soltas de temporadas anteriores. Acredito que não será este o caso, mas a verdade é que quero um fim digno para uma série deste calibre.

Ainda que com um início um pouco confuso, I Hate the World foi novamente um bom episódio, com uma base sólida, e com mais momentos leves e cómicos do que aquilo a que estamos habituados. O fio condutor continuou lá, toda a investigação do FBI e a utilização de Nate para tentarem desmascarar Annalise, mas outras storylines foram também desenvolvidas, como a do pai de Michaela. Ainda não é claro qual o seu papel na big picture, mas, aparentemente, não é alguém positivo e receio o efeito que a relação da futura advogada com esta pessoa possa ter na sua personalidade, já de si instável. E Gabriel a ouvir as cassetes da terapia de Annalise? Apenas creepy.

Tivemos mais um caso pequeno, que se resolveu dentro das quatro paredes da Caplan & Gold, mas muito importante em termos de lição social. Esta é uma das marcas da série: de forma não tão subtil assim passar mensagens impactantes sobre a atualidade. Pelo meio das peripécias desta aplicação para encontros descobrimos que o envolvimento de Tegan com os Castillo é maior do que o previsto, mas continuo sem perceber o porquê de toda esta conversa sobre o seu divórcio. Aquilo que sei é que as minhas desconfianças acerca dela continuam elevadas, mas isso também me diz que se as suas ações nos levam a pensar isso talvez ela não seja culpada de nada e quer mesmo só ser amiga de Annalise. Não seria a primeira vez que HTGAWM faz este trocadilho.

Sei que disse que queria mais cenas românticas entre Connor e Oliver, mas não estava à espera de um ménage! Foi uma cena um bocado awkward de se ver e não entendo de todo a sua relevância na história. Parece-me que Oliver não está muito bem e pergunto-me se terá algo a ver com o que Frank lhe contou. Por outro lado, as cenas de Asher foram super engraçadas, mas estão a cair novamente no hábito de antes. Parece que Asher só serve para ser o palhacinho da turma. Contudo, espero que esta situação se altere com a chegada da sua irmã.

Annalise tem um novo interesse amoroso. Mas calculo que ainda não será desta que encontra a felicidade ao lado de alguém. Como já disse numa outra review, o verdadeiro amor de AK é o seu trabalho, a ajudar pessoas. E, por fim, a cena que encerra este quarto episódio: Frank a ser deixado à porta da casa de Bonnie todo ensanguentado e inconsciente. Não creio que esteja morto, será apenas Xavier a enviar uma mensagem. Espero que a partir daqui os pormenores sobre o que aconteceu a Laurel e Christopher comecem a surgir.

O que acharam deste episódio?

Beatriz Caetano