Classificação

9
Interpretação
8.9
Argumento
9
Realização
8.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Como se costuma dizer, à terceira é de vez! O terceiro episódio desta última temporada de How To Get Away With Murder trouxe-nos finalmente momentos de deixar de boca aberta, suspense e o regresso da Michaela que costumávamos adorar. Agora sim, sinto que será uma temporada fatal.

Sei que em 15 episódios nem todos podem ser espetacularmente bons, mas esperava que o início tivesse mais impacto do que o que teve e receava já que o fim de Annalise e dos Keating 4 e companhia não fosse aquele que merecem. Contudo, os meus receios revelaram-se infundados, claro, e Do You Think I’m a Bad Man é a prova da qualidade da série.

Houve muita coisa a acontecer em 44 minutos. Michaela arrasou no tribunal (não sem a ajuda de Annalise, mas ainda assim) e ainda descobrimos um major plot twist: afinal de contas o pai biológico dela não era o acusado, mas sim o advogado! Adoro ser surpreendida e gosto muito que tenham conseguido dar a volta a esta personagem e torná-la novamente em algo interessante. Estou curiosa por saber que papel terá o seu pai nesta história. Já agora, não foi arriscada a conversa que Michaela e Annalise tiveram no gabinete desta? A probabilidade de haver escutas é elevada.

Connor, com toda a bondade que tem no coração, fez asneira ao levar o miúdo para junto da mãe. Sim, teve um final feliz, mas se não fosse Tegan o desfecho teria sido outro. (Tenho saudades de ver Connor e Oliver juntos. Já há muito que não temos uma cena romântica entre os dois.) Por falar em Tegan, descobrimos aqui um pequeno twist com o facto de ela ser casada. Onde se irá encaixar esta Cora? E torna-se cada vez mais óbvio que Tegan esconde algo. Será informador do FBI? Será cúmplice de Xavier? Será outra coisa que nunca nos passaria pela cabeça? Calculo que seja esta última opção.

Frank continua na sua busca por Laurel, mas sem grandes resultados. Por que será que não estão a revelar quase nada sobre este assunto? Talvez seja o mote para o fim da história. Finalmente alguém sugeriu que Frank e Bonnie ficavam bem juntos! Como já disse noutra review da 5.ª temporada, nunca ninguém se irá importar tanto com Bonnie como Frank. É ele quem tem estado ao seu lado durante estes anos todos! Faria sentido ficarem juntos, mas HTGAWM não nos dará aquilo que queremos. Apenas achei um pouco ridículo que ele fosse imediatamente dizer a Bonnie que até davam um bom casal. C’mon, Frank.

Temos ainda Gabriel e a sua mãezinha, que demonstram ser a storyline mais aborrecida de todas. Pensei que Gabriel fosse uma adição chave à série, mas parece que não. A sua presença já não tem qualquer sentido e muito menos a de Vivian. Nate e Bonnie têm um plano entre mãos que evidencia a desconfiança de ambos em relação a Tegan. Provar-se-á fundada ou será mais um tiro para o ar como foi com Miller? Creio que o facto de nos mostrarem que estão a espiar a advogada significa que estarão errados, mas veremos.

E, por fim, os flashforwards. O deste episódio já foi mais interessante. Não só Michaela está na mira do FBI, como Connor também e, assumo, todos os outros. Quem será a pessoa morta? Não creio ser Annalise. Não seria justo. E o ataque que Connor tem? Cardíaco? De ansiedade? Está apenas a fingir? Demasiadas perguntas e zero respostas por enquanto é o que temos. É com entusiasmo que aguardo os próximos episódios.

E vocês, o que acharam?

Beatriz Caetano