Classificação

9
Interpretação
8
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

[Contém spoilers!]

A segunda semana da última temporada de How To Get Away With Murder continuou de forma bastante morna. Confesso que, sendo esta a última temporada da série, estava à espera de que todos, ou quase todos, os episódios fossem “a matar”. Contudo, não é isso que se tem verificado até agora. Enquanto grande fã da série, espero que não se tenham desleixado novamente na despedida, depois da fantástica temporada que foi a passada.

Vivian’s Here foi um episódio sem grandes momentos, sem suspense, sem ação, sem grandes mistérios. Na verdade, não teve muito de nada e é estranho haver já um episódio assim no início da narrativa. A introdução da mãe de Gabriel (que alguns podem estar a reconhecer da nova temporada de This Is Us) não trouxe nada de novo e foi até aborrecida. Que raio de mãe é aquela que fala assim para o filho e para a sua namorada, que acabou de conhecer? É óbvio que está a trabalhar para o FBI. Não iria para Filadélfia só porque sim. Está convicta de que Annalise matou Sam e quer passar-lhe a perna. Espero que perceba a tempo que Sam não valia nada e que mude para o lado dos bons.

Para além deste foco, outra das storylines desenvolvidas foi a do pai biológico de Michaela. Depois de anos e anos sem se importar sobre quem eram os seus progenitores, Michaela parece agora não se importar com nada mais e, claro, culpa Annalise por não ter tido a oportunidade de conhecer o pai. Mais uma vez, Annalise é o bicho papão, origem de todos os males que acontecem aos K4 e companhia. No fundo, tudo o que Michaela quer é alguém que a ame incondicionalmente e ainda não percebeu que já está rodeada por essas pessoas. Gosto da evolução positiva da personagem desde a 5.ª temporada e espero que não a deixem cair neste ciclo de culpar Annalise por tudo e ter raiva de toda a gente.

Por outro lado, Connor teve a oportunidade de liderar a defesa de um caso em tribunal e, quando tudo parecia estar a dar para o torto, ganha com uma ajudinha de Tegan. Tenho a dizer que também teve sorte com a juíza, porque nem todos iam tolerar a forma como estava a falar. Tenho de referir também o facto de HTGAWM ser mais uma das séries que faz menção à situação triste que se passa atualmente nos EUA com a detenção inumana de migrantes que procuram nada mais do que uma vida melhor do que a que deixaram para trás. Especialmente, o facto de prenderem crianças e até bebés e de os forçarem a estarem presentes em tribunal, 99% das vezes sem sequer saberem falar inglês ou até sem saberem falar ainda.

Nas sidelines tivemos Bonnie e Frank a agirem por risco e conta própria. Para Bonnie, nem a facilidade com que verte lágrimas e ranho serviu para se safar do despedimento da Procuradoria. Era um cargo que dava jeito e agora nada feito. Procurará emprego numa firma, talvez na Caplan & Gold, ou irá trabalhar de forma independente, ajudando Annalise? Frank foi em busca de respostas relativamente àquela chave que encontrou. E as conclusões a que chegou é que há agora ainda mais perguntas sem resposta. Laurel tinha um cofre com Wes, onde este guardava uma cópia de todas as coisas que o grupo já fez. O que será que Laurel fez com esses documentos? E o que será que havia no cofre para além disso? Mais, será que foi Laurel a ir buscar essas coisas ou outra pessoa? Visto que Frank teve acesso de forma tão fácil, outra mulher que não Laurel poderia muito bem ter ido ao banco.

Por fim, Tegan. Cada vez mais desconfio dela. Já não tenho confiança nenhuma nela. Espero estar enganada, mas algo me diz que Tegan está mesmo a trabalhar para o FBI ou para outra pessoa, como, por exemplo, Xavier. Até ao momento, Nate tem estado bastante apagado, mas calculo que ainda terá algum protagonismo, visto ter sido ele a quase matar Miller. E quem será o morto ou a morta no final? Devo dizer que estes flashforwards para daqui a três meses não me despertaram qualquer interesse. É óbvio que quem quer que seja que morreu não foi Michaela quem a matou. As impressões digitais naquele objeto da lareira estão lá porque ela deve ter sido a última pessoa a mexer nele, depois daquela cena das almofadas.

O que acharam do episódio?

Beatriz Caetano