Classificação

9
Interpretação
8.2
Argumento
8
Realização
8.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

How To Get Away With Murder regressa aos ecrãs para uma última temporada fatal. Têm sido seis anos recheados de muitos mistérios, muito suspense, muitas reviravoltas, muitas teorias falhadas por parte de nós, espectadores, e muita morte também. E agora chegamos aos 15 episódios finais.

Este primeiro episódio, intitulado Say Goodbye,não foi dos melhores que já vi na série, especialmente para início de temporada. Teve os seus momentos altos, sim, mas no geral não foi nada de especial nem que não tivéssemos visto já. Foi um episódio entre o Bom e o Muito Bom, a cair mais para o lado da primeira hipótese.

Uma das coisas de que gostei mais no episódio foi o ciclo que completou: começou e terminou da mesma forma, com a premonição da morte de Annalise. Quero acreditar que não significa realmente a morte de AK, em particular a cena final. Espero que seja apenas uma cena para nos despistar ou, em último caso, a ser realmente a cena do seu funeral, que ela tenha planeado tudo e tenha fingido a sua morte.

Parece que Annalise simplesmente não é capaz de estar longe dos Keating 4, de Bonnie, Frank e Nate. Não compreendo como pode ela achar que é egoísta quando todas estas personagens continuam em liberdade graças a si. Mesmo estando num local de reabilitação, a fazer algo por e para si, Annalise levou apenas uma semana para se ir embora e retornar à sua família, porque na verdade esta é a sua família. Deixou para trás a sua sanidade mental e o seu bem estar físico para regressar ao antro de problemas e complicações que é Filadélfia.

Outros dos momentos altos do episódio e que mais puxou pelas emoções foram as cenas das almofadas. Para quando o Emmy para Viola? De levar às lágrimas a performance dela naqueles minutos. Também a parte em que os Keating 4 efetuam o exercício foi emocionante, apesar de achar que foi um pouco forçada com todos os outros a olharem. Já agora, só aqui entre nós, Asher finalmente percebeu e interiorizou aquilo que andei a dizer durante toda a temporada passada!

Ao que tudo indica, um dos motes desta narrativa final será o desaparecimento de Laurel e Christopher. Há poucos dias soube-se que Karla Souza não será regular nesta temporada e que aparecerá um máximo de três vezes. Até ao momento, todos parecem acreditar que Laurel se foi embora pelo próprio pé e que nada de mal lhe aconteceu. Será? Depois de tudo o que o seu pai e irmão já fizeram podemos mesmo acreditar tão facilmente nisto? Pobre Frank, que não quer esquecer assim num piscar de olhos a mulher e a criança que ama. Calculo que será pela sua iniciativa que descobriremos onde estão. De que fechadura será aquela chave escondida na moldura? E alguém se lembra do que aconteceu ao cobertor com o sangue de Miller?

Por fim, Emmett morreu mesmo. Não escapou aos desígnios de Deus. Ou não terá escapado aos desígnios de alguém bem perto dele? Na temporada passada houve momentos em que duvidei das intenções de Tegan, pensando que estivesse do lado do FBI e contra Annalise e companhia. Contudo, provou estar do lado certo e acabou por ajudar estes quando mais precisaram. Ainda assim, a sua atitude neste episódio deixou-me com a pulga atrás da orelha. Poderá Tegan ser na verdade informadora do FBI e estar a espiar as nossas personagens, sendo por isso que a investigação está tão avançada e há tantos pormenores naquele quadro?

HTGAWM não começou em grande, com um episódio de deixar de queixo caído, cheio de ação, mistério e suspense. Foi um episódio calmo que serviu para pôr à nossa frente as pistas do que acontecerá nos próximos episódios, mas que mesmo assim teve os seus momentos gloriosos. Parece-me que esta será uma grande temporada para dar fim a uma grande série e nem poderia ser de outra forma com Shonda Rhimes e Peter Nowalk.

E vocês, o que acharam?

Beatriz Caetano