Classificação

9.6
Interpretação
9.3
Argumento
9
Realização
10
Banda Sonora

Os mais fanáticos da série (e não só) certamente já tinham visto fotografias de Kit Harington num cenário que se assemelhava muito a Pedra do Dragão, a especulação que ia ser uma temporada de reencontros. E claro que como a série se aproxima do fim e com um inimigo comum a todos os westerosi, é normal que as personagens comecem a juntar-se. Não tem nada a ver com agradar aos fãs. Há tanto tempo que sabíamos que os dragões estavam ligados à destruição dos Caminhantes Brancos. Mais dia menos dia (e com o que sabemos agora graças a Bran), Jon Snow e Daenerys Targaryen acabariam por se conhecer.  A questão não era se, mas quando.

Este terceiro episódio foi, para mim, o melhor até agora desta temporada. Não ando a gostar muito das cenas de guerra neste sétimo ano da série, mas suponho que não queiram perder muito tempo em batalha quando ainda há muita história para contar e com tão poucos episódios restantes. Sabem que só faltam dez episódios para o fim da série? E quatro para esta temporada acabar? Meu Deus.

Pedra do Dragão

Uueepaa que isto foi a sério! Que delícia ver personagens tão importantes juntas de uma vez por todas. Daenerys Targaryen, Jon Snow e Tyrion Lannister. E foi tão bom como eu, pelo menos, estava à espera. Não houve cerimónias, nem nada disso.

Nós conhecemos Jon e Dany desde que eles era quase ratos de rua. Jon um bastardo qualquer prestes a juntar-se à Patrulha, onde esperava viver a sua vida o mais normal possível. Dany foi vendida a um khal para o mano poder reconquistar Westeros. E olhem onde estão os dois agora. Porém, nenhum deles sabe o que o outro passou. Daenerys pode ser a herdeira legítima do Trono de Ferro, mas lutou muito para estar onde está.

Até a minha mãe que nunca viu a série e estava ao meu lado comentou logo que eles não gostaram nem confiavam um no outro. Jon ficou por momentos embasbacado a olhar para Dany, mas a conversa foi sempre tensa, sempre desconfiada. Claro que tanta tensão teve os seus momentos de humor quando Missandei apresentou Dany e a sua infindável lista de nomes e Davos limitou-se a dizer que o Jon era o Rei no Norte. Impagável.

Tyrion: “O bastardo de Winterfell”.
Jon: “O anão do Rochedo de Casterly”.

Como já se esperava, Tyrion serviu como moderador entre os dois. O anão passou uma temporada na Muralha com Jon e já conhece Daenerys quase de ginjeira e limitou-se a fazer o que faz melhor. Falar, conciliar. Óbvio que Dany não acreditou nas palavras de Jon. Foi preciso uma trabalheira para convencer os seus vassalos no Norte. Quanto mais uma jovem acabada de chegar a Westeros. Contudo, Daenerys é a única pessoa que Jon precisa de convencer. Ela lá lhe deixou tirar o vidro de dragão, mas os próprios dragões vão ser necessários nesta luta entre os mortos e os vivos.

Jon é uma espécie de prisioneiro, recusando-se a prestar vassalagem a Dany e desesperado para voltar para o Norte. Quem adorou a cena em que Drogon voa por cima dele quando Jon diz que não é um Stark? Adoreeeei.

Vamos ver como continuarão as relações entre Dany e Jon. Primeiro ele tem de ver se realmente há assim tanto vidro de dragão por baixo do castelo. Segundo, será que Dany se vai virar para Jon quando descobrir que todas as suas aliadas estão mortas e que ela realmente está a perder a guerra?

Winterfell

Surpreendentemente ou não, Sansa está a sair-se bem na ausência de Jon. Está a tomar provisões para o longo inverno que se avizinha, dá para trás a Mindinho, preocupa-se com o bem estar dos nortenhos. Por enquanto tudo está calmo em Winterfell… até Bran chegar.

Bran é uma pessoa diferente desde o ataque à caverna e desde que se tornou o Corvo com Três Olhos. Parece apático, vazio e desprovido de personalidade. Não era certamente esta pessoa que Sansa esperava encontrar. Foi desolador ver a sua alegria e a indiferença do irmão. Tão diferente do reencontro dela com Jon.

Bran: “Sim. Preciso de falar com ele”.

Claro que Bran e Jon se desencontraram. Bran já sabe que o meio-irmão é, na verdade, seu primo e tem tanto sangue do Norte como sangue do dragão. Agora é saber se os dois ainda se vão ver nesta temporada. Não me admirava nada que Jon já não voltasse a Winterfell esta temporada. Vamos ver.

Bran já chegou, falta Arya. Veremos como será a sua chegada a Winterfell e o que espera aos irmãos Stark o resto da temporada. Todos eles mudaram radicalmente desde o dia que Ned rumou a Porto Real. Será que os laços de sangue vão falar mais alto e os irmãos vão encontrar nem que seja um bocadinho de harmonia?

Porto Real

Vitória atrás de vitória. De uma cajadada só, Cersei vê-se com duas das mais importantes aliadas de Daenerys e com a guerra bem a seu favor. Ela está tão confiante que nem se importa que os criados vejam Jaime na sua cama.

Cersei: “Os Lannister pagam sempre as suas dívidas”.

E como não estar contente? O Banco de Ferro de Braavos está veementemente inclinado a apoiá-la na guerra contra Daenerys e Game of Thrones mostrou-nos que o dinheiro ganha guerras. Finalmente vingou-se da morte de Myrcella. Por acaso nem fiquei triste de ver a morte de Tyene e o triste destino de Ellaria. Nisto, Cersei tem razão. Oberyn morreu por estupidez própria. Myrcella era inocente e não devia ter morrido. Fiquei feliz por a pequena ter sido vingada de certa forma.

Quem não amou todas as cenas de Euron? Ele é passado da marmita, de uma maneira diferente que Ramsay ou Joffrey eram passados da cabeça. Ele é bom ator e consegue disfarçar a maluqueira. Na verdade, consegue usá-la a seu favor (e aquele cavalo era brutalíssimo!!). A conversa com Jaime deixou-me a rir a bandeiras despregadas. A cara de chocado do Lannister foi maravilhosa.

Será que o vento continuará a soprar a favor dos Lannister? Isto foram muitas vitórias de uma vez só. Uma coisa é certa, estas vitórias de Cersei são uma chapada de luva branca a quem ainda pensava que ela estava tramada na guerra contra Daenerys. Pode não durar, mas, neste momento, Cersei está em vantagem.

Cidadela

E… pufff, Sor Jorah está curado! Nunca pensei que a cura para a sua doença fosse assim tão fácil. Pensava mesmo que o eternado apaixonado de Dany estava condenado. Mas continuo a perguntar-me: qual será o papel de Jorah Mormont nesta guerra? Ele está muito longe de Daenerys e esta série é imprevisível. Veremos o que vai acontecer. Já não digo nada!

Rochedo de Casterly

Fácil, demasiado fácil. Depois das desgraças do episódio passado, esperei que pelo menos a tomada do Rochedo fosse uma vitória para Daenerys. Mas não. Tudo correu terrivelmente mal.

Os Imaculados chegaram sem problemas ao castelo ancestral da Casa Lannister e tomou-o sem problemas ao som da voz de Tyrion. O castelo foi conquistado, muito bem. O problema é que Euron deu a volta ao país em tempo recorde e chegou para destruir o que restava dos navios de Dany e para cercar o Rochedo, deixando os Imaculados sem opção.

Os Imaculados têm a vantagem de conhecer a passagem secreta de Tyrion, mas duvido que isso seja suficiente para escaparem. Ou Dany chega lá com os filhotes ou vejo o caso muito mal parado. Será que Verme Cinzento tem os dias contados?

Jardim de Cima

Pela primeira vez na sua vida, Jaime foi mais esperto do que o irmão. Tyrion estava certo que conquistar Rocheado de Casterly seria uma grande perda para Daenerys. Mas de que serve o castelo dos Lannister? Já não tem ouro, Cersei é rainha e Jaime recusa-se a sair de Porto Real.

Como disse Jaime, o castelo é inútil para eles. Como tal, ele foi mais esperto e rumou a sul e conquistou Jardim de Cima para destruir a última aliada que restava a Daenerys.

Sem dúvida que a conquista do castelo da agora extinta Casa Tyrell foi muito importante para Cersei e os seus aliados, mas a vitória de Jaime ficou com um sabor amargo na boca. Ele esqueceu-se com quem estava a lidar. Pode ter morto Olenna Tyrell, mas ela saiu por cima como só ela consegue fazer. Mesmo na morte, foi ela quem se ficou a rir.

Olenna Tyrell: “Dizei à Cersei. Quero que ela saiba que fui eu.”

Até eu própria sorri quando vi o sorriso de Jaime desaparecer-lhe no rosto ao ouvir a confissão que os espectadores sabiam quase desde o início, que foi ela a responsável pela morte de Joffrey.

Okay, já vi muitos comentários pela internet fora de que a Daenerys é maluca como o pai, que é má governante e que não merece o lugar no Trono de Ferro. Tudo bem, também reconheço que ela tem muitos defeitos e muita coisa para melhorar, mas Cersei também não é a melhor escolha para o lugar de rainha. Viram bem o que ela queria fazer a Olenna e nem sequer sabia que fora ela a matar Joffrey? Sim, Dany meia volta lembra-se de queimar pessoas vivas, mas tem controlado esse seu lado. Cersei explodiu um Septo, matou de forma horrorosa a Septã Unella e nem falemos do que vai fazer a Ellaria.

Maria Sofia Santos