Depois de uma curta pausa, Chicago Fire arranca para a reta final da temporada, embora com níveis de audiência mais baixos em relação ao episódio anterior.

Quanto à história desta semana, arranca com uma boa notícia para Peter Mills, que irá poder integrar a equipa de Severide, enquanto o tenente recupera. Rice será o tenente interino da equipa. Acho que Mills já estava bem “instalado” na ambulância, mas não desistia da ideia de voltar ao camião. O certo é que o bombeiro/paramédico ficou muito entusiasmado.
Com a ausência de Mills na ambulância, e para evitar que o quartel tenha um paramédico indesejado, Gabby sacrifica-se pela equipa e troca de posição, formando dupla com Brett. Embora a primeira abordagem fosse bluff, a situação acabou por cair no colo de Gabby.

Ainda no rescaldo no incidente no hospital, April decide tirar algum tempo e mudar de ares. Severide é apanhado de surpresa. Até eu fiquei. Sempre me pareceu que havia ali alguma coisa entre eles. E quando Severide convida April para sair antes desta ir viajar, fica claro que ambos pensam nisso. Cá para mim, April não aceitou o convite porque teve medo do rumo que o encontro poderia seguir. Mas não manteve a posição durante muito tempo. Aparentemente, também nesta matéria há história. Pelo menos, para o lado de April. Severide apanhou o comboio agora. Já não é mau!

Quanto a Gabby e Casey, depois de se terem envolvido no episódio anterior, estão um pouco inibidos. Parecem as crianças que, depois de fazerem asneira, não sabem muito bem como reagir. A diferença é que estas crianças são bem crescidas e não estavam a explorar nada de novo.

Destaque ainda para saída de Mills do batalhão 51. Vai seguir um rumo diferente com a família. Durante algum tempo ainda ponderou ficar, fruto da insistência de Severide, Casey e Boden. Mas no final, acabou mesmo por ir embora. O homem queria sair da ambulância para o camião, mas acabou mesmo por sair do quartel.
Estranha foi a despedida dele e com Gabby. Aliás, a moça ficou de queixo caído. Sempre notei que Mills nunca tinha esquecido completamente Gabby, mas acreditava que era saudade ou nostalgia. Aparentemente, é muito mais que isso. Fica o convite, Gabby!

Não foi um episódio brilhante. Por alguns instantes até se tornou aborrecido. Mas acredito que os últimos episódios subirão de nível, como é hábito nesta série.

Nota: 6/10

Ricardo Almeida